Borracheiro dizia que estava apaixonado pela vítima

O borracheiro Clayton Ribeiro, de 42 anos, que matou no início da tarde desta quarta-feira (19) a moradora da Vila São Paulo, Adriana Aparecida da Silva, de 42 anos, estava apaixonado doentiamente pela vítima.

De acordo com informações passadas por pessoas próximas de Adriana, ela vinha sendo “assediada” pelo borracheiro e, como trabalhava próximo do local dos fatos, já tinha avisado colegas de que iria mudar o trajeto diante das importunações.

Ela teria comentado com amigos que chegou a falar para o autor do homicídio que “era muito bem casada”, mesmo sendo solteira, para tentar afastá-lo dela.

Adriana não aguentava mais as importunações.

Após matar Adriana com golpes de faca ele foi linchado por populares.

Leia mais na próxima matéria.

 

Mulher assassinada na Vila Progresso