Suspeitas de Coronavírus aumentam na região de Jundiaí

Os números de casos suspeitos de Coronavírus estão aumentando a cada dia que passa na região de Jundiaí. Já são 40 casos notificados como suspeitos. Até este domingo (15) não havia caso confirmado.

Em Cajamar a Prefeitura informa que há dois casos de pessoas que viajaram para a Inglaterra e Itália e estão em quarentena.

Em Cabreúva as festas de aniversário da cidade foram suspensas pelo prefeito Henrique Martin, porque dois moradores estão com suspeita de ter contraído o vírus. Um deles de 19 anos em viagem feita a São Paulo e contato com pessoa contaminada. O outro de 36 anos.

Em Itupeva a Prefeitura informou que há dois integrantes de uma mesma família suspeitos de terem contraído o vírus em contato com pessoa contaminada na Capital.

Em Várzea Paulista uma criança de 2 anos apresentou os mesmos sintomas do Coronavírus e o prefeito Juvenal Rossi mandou colocar em quarentena a classe dessa criança do Jardim Cruz Alta, até que saia o resultado dos exames laboratoriais colhidos no Hospital Pitangueiras da Sobam/Amil em Jundiaí.

Em Vinhedo a Festa da Uva que estava confirmada para começar no sábado foi cancelada pelo prefeito Jaime Cruz, diante do surgimento de seis casos suspeitos no município.

Em Jundiaí, a cada dia que passa também aumentam os casos suspeitos. Já são 27, de acordo com a Prefeitura, em números divulgados neste domingo.

Agentes de Saúde lamentam que os resultados levem até 10 dias para saírem pelo laboratório Adolfo Lutz. Isso deixa as famílias dos envolvidos angustiadas e na expectativa. Também tem limitado as pessoas dos afazeres do dia a dia.

Aulas suspensas

O governador João Doria determinou a suspensão das aulas na rede estadual de ensino a partir do dia 23. A partir desta segunda-feira, dia 16, os professores vão orientar os alunos sobre as medidas de prevenção e também passar meios alternativos de dar continuidade nas aulas, à distância. O governador quer a utilização de aplicativos e smartphones para que os estudantes não sejam prejudicados no ensino, durante a “quarentena”.

Doria também suspendeu as férias dos servidores da Saúde por 60 dias, período em que o vírus deve estar mais “atuante” e suspendeu eventos com mais de 500 pessoas do Estado.