Sincomercio busca alternativas ao Coronavírus

Com o intuito de encontrar soluções para enfrentar o período de instabilidade causado pelo avanço da pandemia do coronavírus em São Paulo e a necessidade de evitar aglomerações, o Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomercio) enviou nesta quinta-feira (19) uma proposta de negociação coletiva ao Sindicato dos Empregados no Comércio de Jundiaí e Região (Sincomerciários).

De acordo com Edison Maltoni, presidente do Sincomercio, entidade patronal que representa 14.500 estabelecimentos comerciais em Jundiaí e Região, o objetivo é encontrar alternativas para minimizar o impacto tanto para o empresário quanto para o trabalhador.

“Esperamos que todos saiam ilesos desta fase porque o emprego é muito importante. Os trabalhadores são os que consomem e nós não podemos perder isso. O consumidor é o que move o empresário, é o que move o país. Nós, comerciantes que representamos talvez a maior fatia de empregos e de renda para o país, precisamos sair ilesos dessa e por isso confiamos que os governos federal, estadual e municipal irão nos ajudar com soluções”, afirma Edison Maltoni, presidente do Sincomercio Jundiai.

 

As reinvindicações propostas pelo Sincomercio ao Sincomerciários são:

  1. Redução dos salários – força maior (Art. 501 a 504 da CLT) até o limite de 25% (vinte e cinco por cento) ou novo teto a viger;
  2. Redução da jornada de trabalho, com redução da proporcionalidade do salário;
  3. Redução da jornada com manutenção do salário integral, porém, gerando acúmulos de horas, quando da normalização da situação deverão ser trabalhadas em regime de horas extras;
  4. Licença remunerada com dedução do período nas férias;
  5. Férias coletivas;
  6. Home-Office;
  7. Licença-remunerada e, após a normalização para o pagamento em horas extras;
  8. Suspensão do contrato de trabalho em casos extremos autorizados pelo poder público.