Coronavírus: alunos serão principais protagonistas de seus estudos

Em momento de pandemia e suspensão das aulas por tempo indeterminado, muitos estudantes terão de se adequar, afinal o período não é de férias e, sim, de afastamento. Muitas instituições estão se movimentando para readequar as atividades que seriam realizadas em sala.

No Colégio Divino Salvador, de Jundiaí (SP) os professores fizeram roteiros de estudo, inicialmente revisando tudo o que foi ensinado até o momento. As indicações do uso de vídeos, livros, textos e filmes para a criação de uma rotina em cima dos temas. O aluno estuda a apostila, faz os exercícios e depois tem a possibilidade de tirar as dúvidas através da plataforma do COC, com as resoluções dos exercícios passo a passo, inclusive o plantão online com os professores.

Para o coordenador do Ensino Médio, Rodrigo Oliveira, é um momento de readaptação para todos. “Agora os alunos serão protagonistas de fato de seus estudos! Se quiserem dormir o dia ou ver TV o dia inteiro, a responsabilidade é deles e o interesse será o grande desafio. Para os professores também, aprendendo a criar materiais e conteúdo de forma virtual. É um aprendizado”.

A coordenadora do Ensino Fundamental, Cintia Pedrisa Orsi, explica que é preciso disciplina para estudar, ter um horário e realizar as tarefas. “Nossa dica é que os alunos peguem os horários das aulas e estudem as matérias do dia. Não precisa ser a mesma quantidade de tempo, nem na mesma sequência de aula, mas é essencial que se programe para aquelas aulas, seguindo os roteiros semanais enviados pelos professores”.

Para os alunos da Educação Infantil, o roteiro é o mesmo, mas é essencial a participação dos pais. Lia Mara dos Santos, coordenadora, explica que a educação infantil pressupõe interação. “Embora não estejamos presentes na escola fazendo essa interação, os pais precisam fazê-la, acompanhando a rotina das crianças no momento dos estudos, com regularidade. Não fazer tudo de uma vez a atividade semanal. Faça a atividade daquele dia. Assim mantemos o hábito de estudo, mantendo a regularidade que é importante para que no momento de volta às aulas, não haja um retrocesso”. Ela reforça que a presença da professora será mantida. “Ela estará mandando mensagens de vídeo para as crianças, para manter o vínculo. Vai falar de forma esperançosa, explicando todo esse processo e, principalmente, que não são férias”.

Orientação da psicóloga
A situação é nova para pais e para crianças. Se os adultos ainda têm dificuldade de compreender o momento de isolamento, para os filhos a situação é mais delicada e precisa ser tratada com muita seriedade, mas também de forma tranquila para não causar desespero.

Maria Isabel Gut, psicóloga e orientadora educacional do Colégio Divino Salvador, afirma que o momento é de ativar a criatividade. “Muito tempo em isolamento requer paciência, pois existe um limite de tolerância. Jogos de tabuleiros, fazer massinha em casa, aprender uma receita em casa. Não sabemos quanto tempo vai durar, é um momento de incerteza, por isso precisaremos nos reinventar principalmente quanto às propostas aos filhos”.

Para ela, essa situação rara vai resgatar o ensino de valores, que compactua tanto com o que o Colégio trabalha no seu núcleo de formação humana. “São valores de solidariedade, colaboração, do cuidado com o próximo. Várias lições podem ser tiradas de tudo isso, sem mágica ou receita pronta. Estamos aprendendo e seremos referência para as próximas gerações. É um momento de olharmos uns para o outros”.