Rápido Luxo diz que a “crise é sem precedentes”

Os funcionários da empresa Rápido Luxo Campinas paralisaram as atividades na tarde desta quinta-feira (02), defendendo a manutenção do emprego e retornam às atividades normais nesta sexta-feira.

Deixaram de circular nesta quinta-feira (02) os ônibus para Jundiaí, Várzea Paulista, Cajamar e Campo Limpo Paulista.

A empresa enviou nota ao “Jornal da Região” onde destaca que a “crise é sem precedentes” e as autoridades públicas devem encontrar uma solução urgente, uma vez que não terá condições de honrar os seus compromissos, diante da queda de 70% no volume de passageiros transportados.

O diretor do Sindicato dos Motoristas, Paulo Ataíde, explicou ao “Jornal da Região” que a empresa chamou 180 trabalhadores e comunicou afastamento de 180 dias. Nesse período sem trabalhar, também ficariam sem salários. A empresa se comprometeu a pagar cestas básicas e depois de 90 dias o trabalhador passaria a pagar para a Rápido Luxo a diferença da cesta.

O sindicalista disse que a proposta era absurda, porque o trabalhador paga aluguel, água, luz, gás e ainda tem que sustentar os filhos. “Não é só de arroz e feijão que as famílias sobrevivem”, comentou. “O pai de família precisa comprar leite para os filhos”.

Depois de reunião com a empresa foi feita a proposta de rodízio de trabalhadores, a cada 15 dias. Uma turma trabalha 15 dias e a outra fica em casa. A diferença salarial a empresa vai buscar do Programa de Recuperação Econômica do Governo Federal.

Veja a nota da Rápido Luxo

A Rápido Luxo Campinas informa que trabalha no sentido de manter todos os funcionários do seu quadro neste cenário de crise sem precedentes. Embora tenha havido uma queda de 70% no número de passageiros transportados e, consequentemente, da receita, ela havia acordado com o sindicato um revezamento de 15 dias entre os trabalhadores, além do plano de saúde e cesta básica. Mesmo com a situação desfavorável, a concessionária entende que o transporte é um serviço essencial e que o mesmo é necessário para aquelas pessoas que continuam trabalhando em hospitais, supermercados, farmácias e demais setores essenciais, possam se locomover. A empresa destaca ainda o trabalho realizado por seus funcionários que se dedicam e se expõe diariamente para atender a população. Entretanto, a Rápido Luxo também esclareceu ao sindicato que, se não houver uma ajuda urgente por parte das autoridades constituídas, uma vez que ela opera o TRANSPORTE PÚBLICO, terá sérias dificuldades para honrar os seus compromissos.