Prefeito pode decretar a flexibilização novamente

O governador João Doria divulgou, na tarde desta quarta-feira (27), o “Plano São Paulo”, de retomada da economia, com flexibilização gradual das atividades, conforme cálculo da redução de casos de “forma científica”. A medida vale a partir do dia 1º de junho, por região.

Jundiaí, que pertence à Diretoria Regional de Saúde de Campinas, pertence à área que pode ter decreto do prefeito para definir as regras de retorno das atividades. A cidade tem que ter estrutura hospitalizar adequada para atender a demanda.

O prefeito Luiz Fernando Machado já havia feito flexibilização, que foi barrada na Justiça.

O funcionamento das atividades pode ser com as mesmas regras que Jundiaí havia adotado anteriormente, com distanciamentos e medidas restritivas, além da obrigatoriedade do uso de máscaras.

Para a abertura dos shoppings a recomendação é de redução de horários, limitações das áreas de alimentação.

Também é feita a proposta para mudanças nos horários de funcionamento do Comércio, Indústria e serviços.

Na Educação as crianças continuam ainda em casa.

Nos transportes haverá retomada dos serviços no Estado. Mas cabe ao prefeito determinar a volta dos horários normais.

Jundiaí é que deverá determinar as regras de funcionamento para todas as atividades.

Cada região atuará conforme a evolução da pandemia.

As regiões vermelhas ficarão com a quarentena atual em vigor até o dia 15 de junho.

Conheça as etapas de cada faixa

Com exceção da capital, todos os municípios da Grande São Paulo e também da Baixada Santista e de Registro permanecem na fase vermelha e não terão nenhum tipo de mudança na quarentena em vigor desde o dia 24 de março. Nas três regiões, o sistema de saúde está pressionado por altas taxas de ocupação de UTI e avanço de casos confirmados de pacientes com coronavírus.

Nas demais fases, haverá flexibilização parcial em diferentes escalas de capacidade e horário de atendimento. A etapa laranja, que abrange a capital e outras dez regiões no interior e litoral norte, prevê retomada com restrições a comércio de rua, shoppings, escritórios, concessionárias e atividades imobiliárias. Os demais serviços não essenciais continuam fechados.

Na fase amarela, haverá reabertura total de serviços imobiliários, escritórios e concessionárias segundo protocolos sanitários. Comércio de rua, shoppings e salões de beleza, além de bares, restaurantes e similares poderão funcionar com restrições de horário e fluxo de clientes.

As regiões que chegarem à fase verde poderão atenuar as restrições ao funcionamento de todos os setores da fase amarela. Academias de ginástica e centros de prática esportiva também voltarão a receber frequentadores, desde que respeitados limites de redução de atendimento e as regras sanitárias definidas para o setor.

 

Veja no gráfico

 

Conheça o PLANO SP 2020