Rápido Luxo vai recorrer das multas da Artesp

A empresa de ônibus Rápido Luxo Campinas informa que vai recorrer de todas as multas aplicadas pela Agência Reguladora de Transportes (Artesp), que tem montado fiscalização na Marginal do Rio Jundiaí e obriga os passageiros a descerem dos coletivos, se estiverem em pé.

A Rápido Luxo diz que é uma decisão dos passageiros viajar em pé. Que está colocando carros a mais em circulação, mesmo com a queda de passageiros transportados. Isso significa prejuízos.

Veja a nota enviada ao “Jornal da Região”

“A Rápido Luxo Campinas informa que mantém nas ruas 64% da frota que operava antes da pandemia da Covid-19. E que, apesar de manter essa oferta de serviços, a atual demanda de passageiros é de apenas 38,4%. Ou seja, a operação está com um custo bem maior que a receita. Mesmo com a lotação reduzida na maioria dos horários e com bancos vazios nos ônibus, infelizmente alguns usuários preferem viajar em pé por entenderem que isso gera um distanciamento maior. A concessionária não tem o poder de impedir que esses passageiros fiquem em pé pois é uma decisão de foro íntimo. Por isso, a Rápido Luxo recorrerá de todas as multas porque, inclusive, está com a frota superdimensionada para a atual demanda.”

Jundiaí

O vereador Marcelo Gastaldo (PTB) disse que já está em preparação na Câmara Municipal um projeto de lei que vai proibir o transporte de passageiros em pé no município de Jundiaí, durante a pandemia.

Ele disse que as empresas de ônibus urbanos demitiram em massa os motoristas e cobradores e houve redução da frota em circulação.

A Prefeitura informa que de 110 mil passageiros que eram transportados diariamente houve queda para cerca de 40 mil. Hoje a frota circula por demanda de passageiros e os horários podem ser consultados pelo aplicativo da Prefeitura para celulares.

Foto: Ednilson Aparecido