Jundiaí: somente serviços essenciais podem funcionar

Anunciado pelo Governo do Estado de São Paulo no início da tarde desta sexta-feira (3), Jundiaí retorna para a fase vermelha do Plano São Paulo de Retomada Econômica. Com isso, o funcionamento do comércio é autorizado apenas para os serviços essenciais, a partir de segunda-feira (6).

A decisão foi tomada com base em cinco indicadores epidemiológicos de toda a região de Saúde de Campinas composta por 42 cidades, inclusive Jundiaí. São avaliados aspectos como capacidade hospitalar, além da evolução da disseminação do coronavírus.

“Estamos vivendo o pior momento da pandemia na cidade e na região, com grande número de casos necessitando o uso de leitos nos hospitais, tanto públicos como privados. Enquanto a cura ou a vacina para a doença não forem descobertas, as medidas serão determinadas conforme o cenário epidemiológico”, explica o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Tiago Texera.

Conforme prevê o Plano SP do governo estadual, a possibilidade de mudança de fase no processo de reabertura dos municípios será reavaliada daqui a 15 dias.

O prefeito Luiz Fernando Machado reconhece os esforços dos profissionais da Saúde empreendidos por empresas, instituições e toda a população. “Todas as medidas desempenhadas em Jundiaí no enfrentamento ao coronavírus seguem irrestritamente as orientações da medicina, e assim continuaremos”, avalia Luiz Fernando. “Eu entendo o cansaço por parte de muitos, mas o sinal de alerta é evidente para todo o interior de São Paulo e precisamos de mais cuidados e proteção. Trabalhamos para minimizar estes efeitos da crise e desta forma vamos continuar até haver segurança para retornar à normalidade”, ressalta.

Medidas
Desde o início da pandemia, ainda em março, o HSV contava apenas com 16 leitos para o atendimento exclusivo aos pacientes do novo coronavírus em UTI. O HSV conta, atualmente, com 85 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 82 leitos em enfermaria exclusivos para o atendimento Covid, além de 25 leitos de retaguarda no Hospital de Campanha montado no 12º GAC. De forma antecipada aos efeitos severos da pandemia, a estrutura de saúde da cidade foi reorganizada para assegurar a assistência aos casos de coronavírus, sem desassistir às necessidades urgentes de outras doenças.

Jundiaí ainda investiu em testagem, com 20 mil testes rápidos aplicados na população – e outros 2 mil tipo PCRs/mês – para identificar, isolar, bloquear e tratar os casos rapidamente. Também foram implementadas Unidades Sentinelas para o atendimento dos casos de síndrome gripal, distribuição de 85 mil máscaras de tecido, além da intensificação das ações de fiscalização integrada e regramento sanitário rígido para o comércio com permissão de funcionamento.