Novo plano de ação orienta feirantes contra o coronavírus

Servir o café no copo para viagem, usar máscara sempre, manter a distância na fila do pastel: estas são algumas das normas presentes no plano de ação voltado especialmente ao setor de alimentação nas feiras livres, que acaba de ser implantado no município.

O plano é resultado de uma parceria entre a Vigilância Sanitária (Visa) e a Diretoria de Abastecimento da Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo (UGAAT), no qual os próprios feirantes apresentam à fiscalização as medidas tomadas para adequar seu trabalho ao manual que o Estado de SP fez para o funcionamento das feiras livres, evitando a disseminação do coronavírus.

O gestor da UGAAT, Eduardo Alvarez, explica que o plano de ação foi definido após uma série de denúncias feitas por munícipes ao serviço 156, referentes a aglomerações nas feiras e consumo no local. “O objetivo é reforçar as medidas sanitárias e adequar o trabalho dos feirantes à nova realidade”, diz.

O plano de ação foi estruturado por meio de perguntas e respostas, para facilitar a compreensão, e enviado a todos os feirantes do setor de alimentos (café, pastel, lanches, bolos, tapioca etc.). Foi estabelecido um prazo para que todos os comerciantes fizessem uma devolutiva, apresentando à Visa e à UGAAT as adequações realizadas. Nesta quarta (22), os fiscais da Visa estiveram na feira da Ponte São João verificando essas adequações e dando novas orientações quando necessário.

O pastel agora vem em um saquinho fechado, para que não haja consumo no local; o café é para viagem, e vem em um copo tampado. Proprietária da barraca de café, Maria Lúcia Pereira Cremonesi ressalta que, apesar do esforço dos feirantes, muitas vezes é o consumidor que não colabora. “Tem gente que pega o copinho fechado, abre e toma no local”, conta. “É importante que todos respeitem as normas “

A gerente da Visa, Adriana Muller, destaca que os feirantes entenderam a importância das medidas para assegurar as boas práticas de higiene, que sempre foram necessárias para garantir a segurança do alimento. “No contexto da COVID-19, essas medidas são fundamentais para evitar a contaminação. Neste momento, manter o rigor e colaborar com o cumprimento do distanciamento social é o que cada cidadão pode fazer para contribuir e proteger sua saúde”.

Alvarez também destaca que a participação da população é indispensável. “A administração municipal e os feirantes estão tomando todas as precauções para que o funcionamento das feiras livres, tão importante para o abastecimento das famílias, seja seguro para todos. Mas o cidadão também precisa colaborar, evitando aglomerações e respeitando as orientações”.

%d blogueiros gostam disto: