Celebrar a vida é o maior presente para profissionais da Saúde

A pandemia do Coronavírus mudou a rotina das pessoas. O isolamento social se faz necessário. Mas, nem por isso, o amor esfriou.

Neste domingo, 9 de agosto, a vida é o maior presente para celebrar o Dia dos Pais.

Em Itupeva, muitos deles têm atuado em diversas áreas, prestando atendimento essencial à população, na linha de frente do combate ao Coronavírus. Por isso, mais do que nunca, os cuidados em casa estão redobrados, principalmente no contato com os filhos.

Henrique Peron, 34 anos, é um exemplo disso. Trabalha como assistente social no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e é pai da pequena Luanna, de 5 anos. “Neste momento de pandemia, as minhas atribuições profissionais estão mais focadas no acompanhamento de situações emergências. O cotidiano foi totalmente alterado para o atendimento ao público, justamente por conta da pandemia. Além disso, o contato diário com minha filha teve uma mudança significativa, principalmente ao chegar em casa. Por hábito deixo o calçado para fora, troco de roupa, tomo banho, e só depois, me aproximo da Luanna. É um momento de muita preocupação, mas que é necessário para o bem-estar de todos, inclusive pela vida dela.”

Com todos os cuidados necessários, Henrique descreveu o sentimento da comemoração neste domingo. “Este Dia dos Pais representa a vida.”

Robson Oliveira Soares, de 35 anos, atua como condutor de veículo de urgência. Tem uma filha de 12 anos, a Isabelli. Ele descreveu como é a sua rotina de trabalho neste momento. “Do dia para a noite, o mundo virou de ponta-cabeça. A sensação de medo passou a ser gigantesca. Eu inclusive tive o Covid-19 e me isolei da minha filha por quase um mês, justamente no período do aniversário dela e não pude comemorar.”

Depois de vencer a Covid-19, Robson celebra a vida diariamente. “Não é necessário esperar uma data específica para comemorar a vida. Eu, particularmente neste domingo, vou aproveitar o máximo possível junto à minha filha, junto à família, porque não tem sido dias fáceis para ninguém”, comentou.

Ismael José de Melo, de 37 anos, trabalha como agente de Zoonoses, e tem duas filhas: Jeniffer, de 11 anos, e Ester, de 5 anos.

“Sei que o meu trabalho colabora diretamente com o controle do Coronavírus no município e ao mesmo tempo tenho preocupação com o meu próprio bem-estar e também familiar. O contato com as minhas filhas é totalmente diferente neste momento. Afinal, antes de ir para casa faço a higiene pessoal no próprio local de trabalho, a fim de amenizar os riscos de transmitir algo para elas. Isso representa o amor que sinto. Neste Dia dos Pais, creio que a ocasião é propícia para enxergar o valor das pequenas coisas, que na realidade são as mais importantes.”

O desafio de cuidar de pessoas é uma tarefa importantíssima. O médico ortopedista Thiago Folgosi Froes, de 38 anos, trabalha no Hospital Municipal Nossa Senhora Aparecida. Pai de dois meninos: Fábio, de 2 anos, e Gustavo, de 6 anos, ele resume como é trabalhar neste período tão desafiador e, ao mesmo tempo, lidar com sua família e suas crianças.  “No começo, confesso que tinha um grande receio de enfrentar essa situação, porque tudo é novo. Mas, com o transcorrer do tempo, passei a ter segurança e maior conhecimento a respeito do Coronavírus”, ressaltou.

Em sua casa, Thiago também passou a adotar novos hábitos, que envolve a vestimenta, tudo para zelar por si mesmo e também pelos filhos. “Neste momento, agir desta forma é dar valor a vida. É poder desfrutar da paternidade com os filhos e também ter a presença do meu pai. O valor do abraço vai ser muito maior. Às vezes, a gente não tinha muita dimensão do que é. Às vezes, não só com os pais, mas com os amigos e com outros familiares, o abraço vai ser muito mais valorizado, com certeza.”

Henrique.jpg

Henrique (4).jpg
Henrique Peron

Robinson (3).jpg

robinson (2).jpg
Robson Oliveira Soares

ISMAEL DESINFECÇÃO (2).jpg

Ismael (1).jpg
Ismael José de Melo

DR THIAGO FOLGOSI FROES.jpg

Thiago (4).jpg
Thiago Folgosi Froes