Moradores do Guanabara fazem testes rápidos da Covid

A gerente da UBS Taís Bengston, recebendo os moradores para os testes

Neste sábado (07), foi a vez da UBS do Jardim Guanabara sediar mais uma ação em combate à pandemia e à disseminação do vírus Sars-CoV-2, causador da COVID-19.

Além de toda a equipe da UBS, também participaram da ação cerca de 15 estudantes de Enfermagem das faculdades Unip e Faccamp, orientando os moradores da vizinhança e frequentadores do comércio local a procurar a unidade para realização do teste rápido para detecção do Covid.

O resultado do teste rápido sai em apenas 15 minutos

Assim como ocorre nas demais unidades de saúde, a iniciativa também teve o objetivo de  identificar pessoas infectadas através de avaliação e testagem, orientando métodos de cuidados e também o que fazer mediante um resultado positivo.

“Começamos agora, às 9h, e estaremos por aqui até às 15h para atender a população”, avisa a enfermeira Taís Regina Bengston, gerente da UBS Guanabara. “As pessoas chegam e passam por uma entrevista e, caso apresentem alguns sintomas e estejam dentro do período determinado, entre o 4º e o 7º dia do surgimento dos primeiros sintomas, encaminhamos para realização do teste PCR”, explica a gerente, acrescentando que um médico também está de plantão no local para avaliar os casos positivos e recomendar as providências a serem tomadas. “Como o teste também aponta o IGG, que indica se a pessoa já foi contaminada no passado e não está mais com o vírus, este é um caso em que não há mais necessidade do  isolamento”.

Quando souberam que a UBS do Guanabara faria os exames hoje, os aposentados Maria Ap. Mathias Tosta Luchetti e Valmir Francisco Luchetti saíram da residência no Fazenda Grande e foram até o local para tirar as dúvidas. “Em maio, minha mãe foi contaminada e, apesar de ter se recuperado da doença, desenvolveu uma série de complicações que afetaram várias partes do corpo e, infelizmente, resultaram no falecimento dela no começo de outubro”, contou Maria. “Nunca tivemos nenhum sintoma, mas como ficamos em contato com ela durante todo esse tempo, achamos que é importante saber se também já fomos contaminados”, disse, enquanto aguardava os 15 minutos para saber o resultado.

O casal Luana e Anderson decidiu fazer o teste com as filhas após um diagnóstico positivo na família

Também foi a partir de um diagnóstico na família que o casal Luana Thais Cantoni e Anderson Correa Firmino decidiu ir ao posto e levar as filhas Manuela, de 8 anos, e Raíssa, de 10. “Minha sogra não se sentiu bem nos últimos dias e soube na última  quinta-feira que está com Covid. Estamos assintomáticos, mas todos nós estamos sempre juntos com ela, Precisamos saber se alguém mais foi contaminado para adotar os devidos cuidados”, alertou a dona-de-casa.