Polícia faz operação em Jundiaí contra pedófilos

As polícias Civil e Federal realizam na manhã desta quarta-feira (25), mais uma edição da operação de combate à pedofilia. Em Jundiaí os policiais cumprem três mandados de buscas e apreensão de computadores e mídias.

Essa é a Operação Black Dolphin. Um dos investigados oferecia a russos uma criança para o tráfico sexual.

Agentes cumprem 219 mandados de busca e apreensão em quatro Estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Segundo a PF, a ofensiva tem como objetivo localizar arquivos digitais compartilhados na Deepweb , “palco de atividades ilegais, onde os criminosos se valem do anonimato para exibir, acessar e compartilhar imagens de abuso sexual infantil de forma a evitar a ação policial”.

A corporação indicou ainda que o nome da operação, Black Dolphin, em referência a uma prisão localizada na fronteira com o Casaquistão conhecida por abrigar presos condenados à prisão perpétua e “pelo rigor no tratamento dos detentos”.

“O nome foi escolhido em razão dos investigados afirmarem que as leis brasileiras são ridículas e que não haveria prisão, no Brasil, capaz de segurá-los; e que em razão de suas habilidades, somente a Colônia 6 Russa, conhecida como Black Dolphin, seria capaz de detê-los”, registrou a PF em nota.