Servente é preso por causar morte de cachorro com ponteira de aço

Um pedreiro de 33 anos, morador na cidade de Morungaba, foi preso por soldados do 49º Batalhão da Polícia Militar, por maus tratos a animais. Ele matou com golpes de uma ponteira de aço usada em construções o cachorro “Pitoco”, pertencente à sua mãe.

De acordo com o relato dos policiais militares, eles foram acionados para o endereço por meio de uma denúncia feita pelo telefone 190.

O Centro de Operações da PM (Copom) informou que havia aglomeração de pessoas na porta da casa de um agressor que deixou cachorro ferido.

Quando a equipe chegou no endereço o cachorro Pitoco estava respirando com dificuldades. Estava ao solo com as patas sujas de sangue, a boca sangrando e os olhos perfurados.

Feito contato com a dona do cão Pitoco, ela informou que o filho havia consumido drogas, estava alterado e sem motivo algum pegou a ponteira de aço e passou a agredir o cachorro.

Com a aglomeração de vizinhos o autor se trancou no quarto e os PMs pediram autorização para ingressar no imóvel.

Ao adentrar na residência, o indivíduo estava confinado em seu quarto, todo sem iluminação.

Os PMs observaram que ele estava armado com uma picareta, sendo iniciado diálogo para que se entregasse sem resistência.

Após cerca de 10 minutos de negociações, o indivíduo largou o objeto e saiu do quarto com as mãos para cima, confessando ter agredido o animal, pois os dois cães de sua mãe estavam “latindo muito”.

Ele não revelou onde escondeu a ferramenta utilizada no crime, não sendo localizado o objeto mesmo após uma revista em seu quarto.

Diante dos fatos, o homem de 33 anos recebeu voz de prisão em flagrante delito pelo crime de maus tratos a animal.

Socorro

A equipe da PM fez vários contatos a fim de localizar uma clínica veterinária para prestar auxílio ao cão ferido, sendo que o animal ficou aos cuidados de um morador próximo, que comoveu-se com a situação e prontificou-se a levá-lo até uma clínica veterinária em Itatiba.

O animal foi tratado, porém, pelo estado crítico em que se encontrava, com lesão crânio encefálica, hemorragias internas múltiplas, além das perfurações e lesões, necessitou ser sacrificado.

O preso vai responder processo por ameaças contra a própria mãe e maus tratos a animais. Ele foi recolhido à Cadeia de Campo Limpo Paulista.