Aumento de internações faz São Vicente suspender cirurgias e consultas

Com a ampliação da demanda por leitos causada pela pandemia do Novo Coronavírus, o Hospital São Vicente de Paulo (HSV) realiza adequações em sua estrutura e nos fluxos de atendimento para manter a qualidade e a segurança à população que utiliza dos serviços de alta complexidade oferecidos pelo hospital centenário, referência para toda a região de Saúde da Aglomeração Urbana de Jundiaí (AUJ).

Nos últimos dias, o HSV registrou aumento relevante no número de novas internações COVID-19, sendo 10 na quarta-feira (3) e 18 na quinta-feira (4), o que resultará no fechamento de semana (realizado no domingo) muito próximo do registrado nas piores semanas vivenciadas durante o primeiro pico da pandemia, entre os meses de junho e julho de 2020.

Em paralelo, as demandas gerais de urgência não tiveram queda, concorrendo de maneira equivalente ao atendimento da pandemia. Em virtude do cenário, são necessárias as adequações temporárias em alguns serviços oferecidos, como as consultas realizadas nos Ambulatórios de Especialidades e de Ortopedia, que serão suspensas temporariamente a partir de segunda-feira (8).

Os acompanhamentos pós-operatórios e de casos críticos estão mantidos sem alterações.

A medida visa reduzir o fluxo de pessoas na unidade hospitalar, minimizando os riscos para os pacientes e contendo o avanço da COVID-19.

Já as cirurgias eletivas – que demandam internação pós-operatória – foram suspensas temporariamente a partir desta sexta-feira (5).

Os leitos foram alocados ao atendimento das urgências e emergências.

Os pacientes com procedimentos já marcados estão sendo comunicados por meio de contato telefônico e terão o procedimento reagendado o mais breve possível, tão logo a circulação do vírus Sars-CoV-2 tenha sido reduzida.

A finalidade das medidas é assegurar a assistência à saúde da população bem como a manutenção do atendimento de urgência e emergência prestado pelos HSV, único equipamento referenciado para a região, composta por mais de 900 mil pessoas.