Terceirizados da Vivo entram em “estado de greve”

Nesta terça-feira (13), às 17hs, o Sindicato dos Trabalhadores em Telemarketing (Sintratel) realizou uma assembleia virtual com centenas de trabalhadores e trabalhadoras da empresa Vikstar, que presta serviços para a Vivo / Telefônica. Ao todo a Vikstar possuí 8 mil trabalhadores em vários estados.

O sindicato propôs aos mais de 300 trabalhadores que permaneçam em “estado de greve”, uma vez que a empresa não efetuou o pagamento dos salários programado para o dia 7 deste mês, nem quitou as diferenças pendentes decorrentes da Convenção Coletiva da categoria, assinado, em 25 de março, e retroativo a 01 de janeiro, em que consta o reajuste salarial na integralidade, vale transporte, abono, dentre outros valores pendentes.

A categoria ameaça paralisar os atendimentos na central de relacionamento com o cliente.

A Vivo anunciou que rompeu contrato com a Vikstar, mas que os pagamentos foram realizados dentro dos prazos.

A Vikstar vinha enfrentando dificuldades financeiras desde 2019, quando perdeu outros contratos grandes.

O Sintratel acionou o Ministério Público do Trabalho, para que adota as medidas necessárias.

 

8 mil terceirizados da Vivo ficam sem salário