Defesa Civil pede ajuda da população contra as queimadas

Teve início na região de Jundiaí o trabalho da Defesa Civil para evitar queimadas, no período da estiagem que vai até 30 de setembro. Em Itatiba, a Defesa Civil pede ajuda da população denunciando focos de incêndios. Em Jundiaí a Defesa Civil vai publicar boletins sobre a qualidade do ar em seu site. Em Campo Limpo Paulista a Defesa Civil recebe por meio de whatsApp as denúncias dos moradores.

“O nosso maior desafio são as queimadas, que combatemos em conjunto com o Corpo de Bombeiros. Fiscalizamos, através da Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura, que vistoria as áreas queimadas e emite as multas, fazemos um trabalho de prevenção junto à zona rural – inclusive com formação de Brigadas Rurais – que têm nos ajudado muito neste trabalho nos bairros Mombuca e na região da Fazenda Alagado. Solicitamos à população para não colocar fogo em vegetação”, solicita a coordenadora de Defesa Civil de Itatiba, Leila Recaman Cavallaro.

A Defesa Civil de Campo Limpo Paulista através da Secretaria de Meio Ambiente formaram um comitê de gerenciamento para Operação Estiagem, isso envolve diversos órgãos da municipalidade assim como Conselho de Meio Ambiente e Associações de Moradores do Bairro.

Thiago Schiavinato Novak gestor de Defesa Civil informa para os moradores não realizarem queimadas e não descartarem lixo em área de mata, pois incêndios trás sérios prejuízos para Fauna, Flora e a Saúde.

As denúncias pode ser realizada através do WhatsApp de emergência 11 97549-8743 ou através do telefone 199 ou 153.

Jundiaí

Até o dia 30 de setembro, período de vigência do Plano municipal de Contingência de Estiagem, a Defesa Civil irá divulgar semanalmente boletins meteorológicos detalhados e notas explicativas no site da Prefeitura, em ambiente vinculado à Unidade de Gestão da Casa Civil (UGCC).

De acordo com o boletim publicado na sexta-feira (07), a passagem de frente fria pela costa do Estado deverá provocar a queda das temperaturas e favorecerá a formação de pancadas de chuva isoladas, sem pancadas ou acumulados. A umidade relativa do ar (URA) registrada às 15h foi de 60% (estado de Observação), após dois dias seguidos de estado de Atenção – 21% nessa quarta (05) e 24% nessa quinta-feira (06).

Ainda na manhã de sexta (07), segundo o índice de Beaufort, o vento foi classificado como brisa fraca, a 14 km/h, com direção predominantemente a noroeste.

No boletim também constam as previsões de temperatura e da velocidade do ar: respectivamente, 25°C e 21 km/h neste sábado (08) e 26°C e 24 km/h no domingo (09), com predominância do vento direção noroeste.

Força-tarefa sob a coordenação da Defesa Civil visa apoiar o Corpo de Bombeiros e a Divisão Florestal da Guarda Municipal

Para o coordenador da Defesa Civil, o coronel João Osório Gimenez Germano, “a proposta dos boletins é facilitar o entendimento da população, transformando dados técnicos em informações mais palpáveis. E com isso traduzir também para as pessoas a nossa preocupação enquanto Defesa Civil, como, por exemplo, por que é importante sabermos sobre velocidade e direção do vento, já que ele pode propagar com mais facilidade o fogo quando a umidade do ar está mais baixa”, completou.

O Plano municipal foi instituído pelo decreto municipal nº 29.635/2021 e estipula as diretrizes e procedimentos das autoridades envolvidas para minimizar e combater os efeitos das queimadas e da baixa URA. Além de diversas Unidades de Gestão da Prefeitura, também compõem a força-tarefa sob a coordenação da Defesa Civil para apoio ao Corpo de Bombeiros e à Divisão Florestal da Guarda Municipal: a DAE, a Fundação Antônio Antonieta Cintra Gordinho, a Mata Ciliar, o Aeroporto Estadual Comandante Rolim Adolfo Amaro e a Rede Integrada de Emergência (RINEM), de que fazem parte as brigadas de emergência de empresas da cidade.