Leitores alertam para falsa agência de empregos

Vários leitores entraram em contato com o Jornal da Região nos últimos dias para relatar uma tentativa de golpe de uma falsa agência de empregos.

“A gente vê a vaga e encaminha o currículo com todos os nossos dados. Eles entram em contato alegando que fomos selecionados. Passam horário de trabalho, salário e benefícios. E aí vem com uma história de certificado.
E quando a gente diz que não tem, eles passam um site e pedem para fazer um curso. Ao abrir o site, tem a informação de que é preciso pagar R$ 250 por PIX para fazer o curso. E que assim que for concluído a vaga é garantida”, conta uma das leitoras.

“Desconfiei dos áudios que recebi e pedi para me passaram um CNPJ. Quando fui verificar, vi que o CNPJ era fajuto”, explicou. O CNPJ enviado era de uma casa noturna e a vaga era de atendente de farmácia.

Outra leitora contou que antes de fazer o PIX para pagar o curso, resolveu entrar em contato por telefone com a empresa que estaria contratando. “Me transferiram para o RH e lá a funcionária me informou que eu já era a quinta pessoa a ligar só naquele dia. Disse ainda que a empresa não exige esse curso, e que provavelmente utilizaram os dados da vaga disponível na internet para enganar pessoas desempregadas”, disse.

“Mandaram um e-mail dizendo que havia sido aprovada em uma seleção e pedindo para adicionar um número de um celular. Já pelo WhatsApp, um homem me fez perguntas sobre minha documentação, e questionou se eu possuía o certificado de assistente administrativo, com validade de um ano”, contou. Ao entrar no site dos cursos ela verificou que os valores variam de acordo com a “vaga”.

O modo de agir é sempre o mesmo. Eles oferecem vagas de Auxiliar de creche, assistente administrativo, Farmácia, Porteiro, Recepção e operadora de caixa.