Jundiaiense Amanda Kurt é a atração do Sons da Terra

Na noite desta sexta, dia 10, às 20h, a jovem jundiaiense Amanda Kurt, nascida Amanda Beserra Marcelino, apresenta sua canção “Sangrar” na última edição da temporada 2021 do projeto Sons da Terra. A música foi selecionada para ser produzida durante o curso ‘Produção Musical – da Ideia ao Fonograma’, promovido pelo Sesc Jundiaí e ministrado pelo músico Guilherme Kastrup, produtor do celebrado disco ‘A Mulher do Fim do Mundo’, de Elza Soares.

O vídeo vai ao ar nas redes do Sesc Jundiaí e pode ser conferido na mídia de sua preferência Instagram, Facebook e YouTube.

Nessa apresentação, com voz e violão, Amanda é acompanhada pelos músicos Fabio Porte (ukulele, viola caipira), Mariana Benatti (voz/coro), Branco(contrabaixo), Igor Pupo (guitarra ), Bel Rebello (viola de arco), Vizu Rocam (flauta, bansuri), Guilherme Sai (sintetizador), Tomaz Vital (piano, synth), Rogério Silvestroni (bateria) e Fausto Crazy (percussão).

Talento precoce, Amanda deu seus primeiros passos no mundo da música aos 10 anos de idade, quando começou a se interessar por violão e desenvolveu, mais tarde, gosto pelo canto e por instrumentos como baixo, piano, bateria, ukulele.


A conexão de Kurt com o universo da arte foi fortalecida após uma professora colocá-la pra cantar no palco pela primeira vez e, logo em seguida, levá-la para o meio teatral. Atualmente, ela se dedica especialmente à música, mas abraça também as artes cênicas.

Sobre o músico e produtor Guilherme Kastrup

Nascido na cidade do Rio de Janeiro, o baterista, percussionista e produtor musical Guilherme Kastrup iniciou seus estudos musicais em 1985, no Conservatório Villa-Lobos e, em seguida, ingressou na Faculdade de Música da Estácio de Sá, no curso de bacharelado em percussão.

Em 1993, mudou-se para São Paulo, onde se dedicou ao estudo da música tradicional brasileira e vem, desde então, atuando ao lado de nomes como Adriana Calcanhoto, Arnaldo Antunes, Chico César, João Donato Maria Bethânia, Ney Matogrosso, Tom Zé, Zeca Baleiro, Jorge Drexler (Uruguai), Roberto Fonseca (Cuba), Tokiko Kato (Japão), Krishna Das (EUA), entre muitos outros.

Em 2001, montou seu próprio estúdio, Toca do Tatu, e começou a atuar também como produtor musical em trabalhos bem recebidos pela crítica e pelo público, como o premiado A Mulher do Fim do Mundo, de Elza Soares (Grammy Latino , APC, Prêmio da Música Brasileira, Prêmio Dinamite), Zoró, de Zeca Baleiro (Prêmio da Música Brasileira), De Pés no Chão de Márcia Castro, Um Minutinho de Palavra Cantada, entre outros.

Em 2013, o artista lançou seu primeiro álbum autoral, Kastrupismo, e em 2014 o álbum Sons de Sobrevivência, em trio com os parceiros Benjamim Taubkin (piano) e Simone Sou (percussão).

Kastrup também realizou a produção musical do segundo álbum da cantora moçambicana Selma Uamusse e do álbum Minha Boca Não Tem Nome, do cantor Fênix.

Sons da Terra

Lançado em setembro de 2020, o projeto Sons da Terra buscou colocar em evidência talentos locais da música e suas produções autorais. Durante esse período, levou ao ar mais de 170 músicos em mais de 50 produções musicais da região. Confira na íntegra a Playlist do projeto.

Serviço

´Sons da Terra´ com Amanda Kurt

Música “Sangrar”

Dia 10/12, sexta, a partir das 20h

Nas redes do Sesc Jundiaí Instagram, Facebook e YouTube

Classificação: Livre

%d blogueiros gostam disto: