Um mês depois moradores ainda não voltaram para apartamentos do Edifício Azaleia

Nesta quinta-feira, dia 9, completa um mês que as 127 famílias do Edifício Azaleia tiveram de deixar às pressas os seus apartamentos no bairro Cidade Jardim, em Jundiaí, quando ocorreu uma explosão e incêndio.

Alguns moradores procuraram o “Jornal da Região”, porque estão morando fora de suas casas e acham que as obras não estão “andando”.

O jornal procurou o Conselho do Condomínio, que explicou ter ocorrido uma série fatores que impediram a execução das obras de imediato.

Um deles é o da Seguradora, que exige a apresentação do laudo da Polícia Científica, do 4º Distrito Policial e outros documentos.


Porém, as famílias que estão tendo gastos com aluguéis só poderão pedir reembolso se fizeram seguro privado. O que foi contratado pelo condomínio não cobre essas despesas.

O Conselho informou ao jornal que aguarda os laudos para pedir indenização. Mas está adiantando algumas obras.

Apesar de não ter ocorrido danos à estrutura do prédio, o condomínio terá de fazer algumas reformas, recuperar os elevadores e deixar tudo em condições de moradia novamente.

Só os serviços elétricos vão levar pelo menos 60 dias para serem executados.

Muitos moradores estão se mudando do prédio e uma agenda foi criada, para que ocorra o acesso.

O Conselho segue todas as normas de segurança, para evitar que ocorra algum problema nessa fase. Já foram emitidos mais de 30 comunicados de esclarecimentos, com total transparência, inclusive a financeira.

Defesa Civil interdita prédio após incêndio em Jundiaí

 

Delegado abre inquérito para apurar causa do incêndio em apartamento

Nove pessoas foram socorridas após explosão em apartamento

Morre criança de 1 ano da explosão em apartamento

Delegado anuncia alteração de BO de incêndio para homicídio

 

 

%d blogueiros gostam disto: