Rodízio de veículos está suspenso em SP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O rodízio de veículos está suspenso nesta terça-feira (14) em razão da greve de motoristas e cobradores de ônibus que ocorre em São Paulo.

Com a decisão da prefeitura, carros com placas finais 3 e 4 podem circular pelo centro expandido sem limite de horário.

As faixas exclusivas e corredores de ônibus também estão liberados para circulação de carros de passeio no período da manhã, visando diminuir o trânsito intenso. A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) vai monitorar e orientar o trânsito na cidade.

Continua valendo normalmente o rodízio para veículos pesados (caminhões) e as demais restrições: Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e a Zona de Máxima Restrição ao Fretamento (ZMRF).

Nesta terça, a greve afetou ao menos 15 linhas de ônibus e fez muitos trabalhadores recorrerem a carros de aplicativos, cujos preços dispararam.

A paralisação de motoristas e cobradores começou na madrugada desta terça-feira (14) e deve durar até o fim do dia. Eles rejeitam proposta de reajuste salarial oferecida por empresas do setor.

As negociações salariais dos trabalhadores do transporte rodoviário de São Paulo começaram em março. A proposta do SindMotoristas (Sindicato dos Motoristas e Cobradores de São Paulo) é de reajuste salarial de 12,47%, com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Ainda há outras reivindicações, como 100% das horas extras, fim da hora de almoço não remunerada e pagamento PLR (participação nos lucros e resultados), todas sem concordância.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo, por meio da SPTrans, lamenta a paralisação de linhas de ônibus municipais e espera que trabalhadores e empresários cheguem em breve a um acordo.

No último mês de maio, a SPTrans obteve decisão liminar na Justiça do Trabalho que determina a manutenção de 80% da frota operando nos horários de pico e 60% nos demais horários. A multa diária, em caso de desobediência, é de R$ 50 mil. A empresa diz que vai solicitar à Justiça a cobrança desta multa, além de autuar as empresas pelo não cumprimento das viagens.

%d blogueiros gostam disto: