Gislaine morreu em acidente no Caxambu

Familiares de Gislaine da Silva Puttini, de 41 anos, comunicam que ela morreu em acidente de trânsito no último final de semana na Avenida Humberto Cereser, altura do número 6.200, no bairro do Caxambu, em Jundiaí.

Gislaine era administradora, trabalhou na TVE da Prefeitura de Jundiaí e morou em Jandira (SP). Casou-se em Jundiaí e tem parentes em Minas Gerais.

Segundo os familiares eles ficaram sabendo da morte por uma pessoa que reside em Goiás. Agora estão em busca de mais informações, uma vez que ligaram no 3º Distrito Policial de Jundiaí e o inquérito ainda não está disponível, dependendo de despacho do delegado.

O delegado do Plantão da Polícia Civil de Jundiaí, Adalberto Ceolin, disse que autorizou a liberação do corpo de Gislaine para sepultamento por meio de um “declarante” que compareceu na Delegacia de Polícia Civil, por ser irmão do marido da vítima, que estava internado. Ele destacou que não tinham sido localizados parentes de primeiro grau.

Os policiais do 49º Batalhão não apresentaram a ocorrência na Delegacia, seguindo a resolução da Secretaria de Segurança Pública.

Tanto o 11º Batalhão, quanto o 49º Batalhão não estão mais apresentando ocorrências de acidentes com mortes, orientando que as famílias façam os registros na Delegacia de Polícia Civil.

O delegado Adalberto Ceolin requisitou comparecimento dos PMs, mas os comandantes dos batalhões não autorizaram, como eles têm feito nos demais registros de acidentes com mortes que o jornal tem divulgado.

Essa resolução da Segurança Pública tem causado muitos transtornos para familiares de falecidos, como publicou o “Jornal da Região” várias vezes.

“Não tivemos condições de despedir da nossa querida Gislaine”, disse um familiar, que pede para quem tiver foto ou vídeo do acidente, que envie ao jornal, para que saibam o que realmente aconteceu.

O Departamento de Trânsito da Prefeitura de Jundiaí também não tinha registro desse acidente, ficando os dados apenas com a Polícia Militar.

O Serviço Funerário de Jundiaí também não divulgou o nome de Gislaine na relação de óbitos do fim de semana. Mas o jornal apurou que ela foi sepultada no Cemitério Nossa Senhora do Desterro, no Centro.

Segundo a leitora Inês Gáspari, foi o cunhado quem cuidou do Velório e comunicou familiares mais próximos: “a tia, a avó, tios, primos e a única irmã, os pais dela são falecidos, as cunhadas, e os amigos dela. O marido estava internado, pois se machucou.”

Os familiares responderam que: ” estiveram sim a avó, tia e tio. Porém, muitos familiares nossos não foram avisados, como todos os familiares dela por parte de pai, que foram os que criaram ela quando criança. Poucos de nossos familiares que estavam presentes teveram informações – muito vagas sobre o que ocorreu. Por exemplo, os detalhes do acidente e local tivemos pelo Jornal da Região”.

%d blogueiros gostam disto: