Rede socioassistencial auxilia na localização de família de idosa perdida

A intervenção da rede socioassistencial trouxe um final feliz à busca de Ângela Zaparolli por sua mãe Marisa, de 79 anos e que, por conta de seu quadro de doença de Alzheimer, permaneceu perdida por algumas horas na manhã desta quarta-feira (03).

Como explica João Guilherme Santos, coordenador do Centro Pop, equipamento da Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS), a identificação da família só foi possível graças ao trabalho intersetorial da Prefeitura. “Recebemos um chamado para buscar a idosa, que se encontrava perdida na região da rua do Retiro. A equipe do Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS) a levou até a Casa de Passagem, e, quando ela se lembrou de seu nome e o de sua família, com o apoio da Ouvidoria da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde, pudemos achar seu contato telefônico e realizar o reencontro”.

Para Ângela, faltam palavras para agradecer o apoio. “Eu moro com minha mãe e meu filho, mas ele não se encontrava em casa, pois está viajando a trabalho. Quando me dei conta que ela havia acordado antes de mim e achado uma chave reserva para sair, eu mobilizei os vizinhos para me ajudar. Foi quando já estava a caminho da delegacia que recebi a ligação do João Guilherme. Eu nem conhecia o serviço da rede e agora não tenho palavras para agradecer. Eu já estava com medo de que alguém fizesse algum mal a ela e quando a reencontrei, bem cuidada e serena, foi algo muito emocionante”.

O SEAS passou, desde o início deste ano, a atender 24 horas por dia, por meio do telefone (11) 98531-0146. Como explica o diretor de Proteção Social Especial da UGADS, Luiz Guilherme Camargo, “além de contribuir com o atendimento à população em situação de rua e trabalhar auxiliando na erradicação do trabalho infantil, o SEAS também executa importante papel em identificar e auxiliar pessoas em situação de desproteção social, como no caso de pessoas idosas”. E acrescentou: “vale ressaltar o quanto o trabalho integrado da rede de proteção social com outros atores, como a UGPS e a guarda Municipal, fortalece o atendimento e permite, construindo ações intersetoriais, promover o atendimento integral do cidadão”.

%d blogueiros gostam disto: