Homem morto com sete golpes de faca ainda não foi identificado

A Polícia Civil de Jundiaí informa que o homem, encontrado morto na rua da Várzea, em frente ao número 541 (entre a Vila Progresso e a Agapeama) ainda não foi identificado.

Na noite de sábado (13), por volta de 22 horas, a Polícia Militar foi acionada para comparecer ao local e requisitou a presença de viatura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), porque havia pessoa esfaqueada.

A médica do SAMU constatou o óbito no local.

O delegado Adalberto Ceolin, do Plantão da Polícia Civil, requisitou a presença de peritos da Polícia Científica e de policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG). Eles conseguiram, em um condomínio, imagens do assassinato gravadas pelo sistema de câmeras.

Agora os policiais da DIG procuram pelo autor do crime, que teria roubado a carteira da vítima.

Até 18 horas deste domingo (14) nenhum familiar do homem assassinado procurou o Instituto Médico Legal (IML) no Cemitério do Montenegro, no Jardim do Lago, para fazer reconhecimento da vítima.

O delegado Ceolin ainda fez requisição ao IML para coleta das impressões digitais da vítima, a fim de verificar junto ao Instituto de Identificação (IIRGD) se é pessoa registrada no sistema Prodesp ou da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

O corpo deverá passar por exames necroscópicos nesta segunda-feira (15). O homem assassinado é pardo, tem 1m80 de altura, pesa 80 quilos, cabelos bem curtos e trajava uma blusa com a letra “R” do lado direito do peito, modelo com zíper para abertura na frente, além de uma camiseta verde.

 

NOTÍCIA ATUALIZADA

Homem assassinado na rua da Várzea era torneiro mecânico

 

 

Leitor mostra local onde ocorreu o assassinato.

Abra link em Polícia, no site do Jornal da Região, por navegador da Internet. O endereço é www.jrjundiai.com.br

 

%d blogueiros gostam disto: