Quadrilha que atirou em guardas de Capivari abandonou comparsa e carro queimado em Itupeva

A Polícia Civil de Itupeva registrou nesta sexta-feira (28) boletim de ocorrência de encontro de cadáver e de carro queimado. O indivíduo ainda sem identificação é um dos assaltantes que entrou em confronto com guardas municipais da cidade de Capivari, na manhã de quinta-feira (27). O carro queimado é o que aparece em vídeo da Guarda Municipal, quando há disparos de fuzil contra os dois agentes, que foram baleados e estão internados.

Tanto o carro, quanto o assaltante baleado no confronto foram localizados às margens da Rodovia Miguel Melhado, embaixo do viaduto da Rodovia dos Bandeirantes, no município de Itupeva.

O delegado do Plantão Policial de Itupeva, Ruiter Martins da Silva, esteve no local e disse que após a elaboração do boletim de ocorrência tudo será remetido para a Delegacia de Polícia Civil de Capivari, que é a responsável pelo inquérito policial.

Guardas municipais de Capivari também estiveram no local onde o corpo foi encontrado. Eles acompanharam a perícia da Polícia Científica.

O delegado Ruiter determinou o recolhimento do corpo para exames necroscópicos no Instituto Médico Legal (IML) de Jundiaí.

Entenda o caso

Por José Maria Tomazela

Dois guardas municipais foram feridos com tiros de fuzil durante perseguição a uma quadrilha especializada em roubos de cargas, na quinta-feira, 27, em Capivari, interior de São Paulo. Os criminosos escoltavam um caminhão carregado com cigarros que havia sido roubado em Itu, na mesma região, e fizeram vários disparos quando as viaturas da Guarda Civil Municipal (GCM) se aproximaram. Um guarda foi atingido no tórax e o outro na cabeça.

Os dois agentes continuavam internados nesta sexta-feira, 28, um deles em estado gravíssimo.

Após roubar o caminhão com cigarros em Itu, os criminosos transferiram a carga para um caminhão de menor porte e seguiram para Capivari, com um carro na escolta.

Câmeras de monitoramento registraram a movimentação e a GCM local foi acionada. A quadrilha foi abordada na zona rural e, segundo a polícia, reagiu atirando com fuzis 556 e AK47. Os guardas responderam e houve intenso tiroteio, registrado pelas câmeras instaladas nas viaturas.

As cápsulas de munição para os fuzis foram recolhidas no local pela polícia. Os agentes atingidos foram levados inicialmente para a Santa Casa de Capivari.

O guarda que recebeu o tiro na cabeça foi transferido para a Santa Casa de Piracicaba e seu estado era gravíssimo, na manhã desta sexta.

O outro agente foi transferido para um hospital particular de Capivari. Seu estado era estável, mas fora do risco de morte.

Um dos veículos usados pela quadrilha foi abandonado às margens da Rodovia Anhanguera. Logo em seguida, câmeras registraram integrantes da quadrilha roubando uma caminhonete em Campinas. O caminhão com a carga de cigarros foi abandonado próximo ao local do tiroteio. Até a manhã desta sexta, nenhum suspeito tinha sido preso.

Conforme mostrou reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, um estudo do Instituto Sou da Paz mostrou que a apreensão de fuzis pela polícia vem crescendo, nos últimos anos, no Estado de São Paulo. A proporção dessa arma entre todo armamento apreendido subiu de 1,2% em 2017 para 1,8% este ano.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado informou que, nos últimos quatro anos, apreendeu 470 fuzis que estavam nas mãos de criminosos. O recorde de apreensões aconteceu em 2020, quando 269 fuzis foram retirados de circulação.

%d blogueiros gostam disto: