Sindicato anuncia greve na Comgás

O Sindicato dos Trabalhadores da Comgás anuncia greve a partir desta sexta-feira, dia 28, devido à falta de acordo na pauta de reivindicações apresentada para os patrões. A instituição diz que tentou de todas as formas manter um Acordo Coletivo de Trabalho por mais um ano, o que teria sido recusado pela empresa. Já a Comgás enviou ao “Jornal da Região” uma nota em que esclarece que está oferecendo índice de reajuste acima da inflação (1,8%), participação nos lucros e outros benefícios que demais trabalhadores não possuem, no mercado. A Comgás garante que os serviços de emergência serão atendidos normalmente.

Os trabalhadores da Comgás decidiram entrar em greve segundo o Sindicato por entenderem que não há nenhum outro meio de defesa dos seus direitos. Na campanha salarial com data-base em junho, o “sucateamento dos serviços e a precarização das relações de trabalho foram coroados pela intransigência e pelo desrespeito da empresa aos seus trabalhadores e à entidade sindical que os representa”, diz a nota do Sindicato enviada ao “Jornal da Região”.
Nesta campanha, duas reivindicações são prioritárias para o Sindicato: a prorrogação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) “por mais um ano, para se fazer frente à conjuntura de desproteção causada pela reforma trabalhista; e a reposição das perdas inflacionárias pelo ICV-Dieese (2,5%), mais 2% de aumento real”.
Segundo o Sindicato foram sete rodadas de negociações e, enquanto o Sindgasista flexibilizava sua pauta, a Comgás mantinha- se intransigente em relação ao atendimento das reivindicações dos trabalhadores, chegando à proposta final de reajuste para salários e benefícios de 1,80%, considerada insuficiente pelos trabalhadores que, em assembleias, resolveram recorrer à mediação do Tribunal Regional do Trabalho da 2 a Região.
No Tribunal, o Sindgasista aceitou a proposta construída pelo desembargador mediador, mas a Comgás dispensou essa mediação, sob a alegação de que reabriria negociações.
“O posicionamento da Comgás é desrespeitoso com os trabalhadores gasistas e consequentemente com os consumidores, ao sucatear as condições de trabalho. Há um histórico de abusos, assédio moral, terceirizações com precarização dos serviços, desrespeito à organização sindical e falta de diálogo. Esse conjunto de fatores afeta negativamente a qualidade do atendimento. Vários acidentes já aconteceram, inclusive com vítimas fatais, dois deles em Jundiaí. Eles são a demonstração cabal dessa realidade que atinge os trabalhadores no seu cotidiano, resultando também em
doenças profissionais físicas e psicológicas”, diz a nota do Sindicato enviada ao “Jornal da Região”.
Outro lado
A Comgás emitiu a seguinte nota de esclarecimento enviada ao “Jornal da Região”:
“A Companhia de Gás de São Paulo – Comgás informa que permanece à disposição do Sindicato dos Gasistas do Estado de São Paulo (Sindgasista) para tratar do acordo coletivo de trabalho relacionado à campanha salarial 2018/2019. A empresa esclarece que propôs reajuste salarial aos profissionais que atuam na categoria gasistas acima da inflação (1,8%) e em linha com as práticas do mercado. A Comgás oferece ainda a todos os funcionários pagamento de participação nos lucros e resultados de acordo com os critérios de meritocracia estipulados pela empresa e diversos benefícios, conforme informações detalhadas ao sindicato em todas as reuniões de negociação realizadas no período de junho a dezembro.

A Comgás assegura aos clientes a continuidade das atividades de atendimento e de serviços presenciais de manutenção e reparo de rede, além do atendimento de emergência, uma vez que, em respeito ao artigo 9º da Lei nº 7.783/89, da Constituição Federal, o serviço público de distribuição de gás encanado, por natureza, não pode ser totalmente suspenso por greve. Os canais de atendimento seguem em funcionamento normalmente: Central de Atendimento e Emergência 24h (08000 110 197), Comgás Virtual, chat, além do atendimento presencial nos endereços abaixo:

São Paulo – das 8h às 18h – Fechado dia 01/01
Alameda Tietê, 219
Jardim Paulista – São Paulo / SP
CEP: 01417-020

Santos – das 8h às 18h – Fechado dia 01/01
Av. Conselheiro Nébias, 268 – Vila Mathias
11015-002 – Santos – SP

São José dos Campos – das 8h às 18h – Fechado dia 01/01
Av. Paraibuna, 1234 – Jd. São Dima
12245-021 – São José dos Campos – SP

Jundiaí – das 8h às 18h – Fechado dias 31/12 e 01/01
Av. 9 de Julho, 2360 – Centro
13208-056 – Jundiaí – SP”