Petrobras anuncia reajuste de R$ 0,10 no litro do óleo diesel

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (17) o reajuste de R$ 0,10 no litro do diesel. O aumento representa uma correção entre 4,5% e 5,1% na bomba, calculou o presidente da estatal, Roberto Castello Branco. O ajuste é abaixo do anunciado na última quinta-feira, de 5,7%, medida que motivou o presidente Jair Bolsonaro a intervir na decisão estratégica.

É uma resposta da estatal ao mercado e aos caminhoneiros. Uma prova de que a Petrobras é livre para decidir sobre a política de preços de combustível e que o governo não tem intervenção direta sobre as ações. Ao mesmo tempo, é uma forma de agradar os transportadores autônomos. Algumas lideranças ameaçaram parar em 21 de maio em tom de protesto às medidas anunciadas pelo governo ao setor.

O diesel é um importante componente do custo do frete. Para grandes caminhões, representa quase 50%. O aumento do combustível garante aos caminhoneiros menos recursos para arcar com outras despesas e, consequentemente, torna o lucro menor ao fim da jornada. Lideranças da categoria garantem, no entanto, que soluções para a política de preços da Petrobras não é a principal reivindicação.

A maior demanda cobrada pelos caminhoneiros é o cumprimento da fiscalização da jornada de trabalho. A lei 13.103/15 prevê uma jornada de trabalho de 8h diárias e 2h extras. Atualmente, os transportadores autônomos trabalham em uma média de 16h por falta de fiscalização, argumentam. O argumento é que, se a jornada for cumprida, será possível corrigir a médio e longo prazo o valor dos fretes mediante o equilíbrio do excesso da oferta com a demanda.