Mãe reclama de parto que levou bebê à morte

A dona de casa Gabriela Silva, de 22 anos, publicou no Facebook um desabafo contra o Hospital Augusto Camargo, de Indaiatuba. Ela ficou 12 horas para concluir o parto do filho Heitor, que acabou morrendo.

A mulher disse que insistiu para fazer cesárea, mas a equipe médica recusou e forçou o parto normal. A mãe relata que foi machucada várias vezes com os exames para verificar a dilatação.

Em nota à Imprensa o Hospital informou que a obstetra é experiente. Mas houve um problema raro com o bebê, sendo que houve procedimentos corretos.

A mensagem da mãe

“Venho aqui deixar minha indignação, dia 13/05/2019, dei entrada ao Hospital Augusto de Oliveira Camargo na madrugada por ter tido rompimento de minha bolsa, aguardei mais de 14 horas para eles fazerem meu parto, senti dores, contrações fortes, mais de 12 horas de trabalho de parto, a todo momento pedindo que realizassem uma cesária em mim, porém a todo instante era negado pelas medicas do plantão, pois eles queriam induzir o parto normal, infelizmente eles conseguiram fazer o parto normal porém o meu filho nasceu roxo com pouco oxigênio, tentaram reanimar ele mas já era tarde demais.
Ele veio a óbito, não posso ter meu filho em meus braços sabendo que ele seria um menino saudável, que tinha tudo pra estar vivo, você entra num hospital onde se salva vidas e sai de lá com dor no coração pela perda por destruírem a vida de um ser humano tão pequeno, estou em luto tão grande que eu sei que mesmo se a justiça for feita não trará o meu filho de volta. Foi feito b.o e o processo já está nas mãos do advogado.
Infelizmente eles fazem pouco caso, não estão nem aí, saber que uma cesária vale mais que uma vida, em ver doutoras experientes deixaram seu filho morrer, não é fácil mas não pode ficar assim. País fiquem em alerta para que não aconteça com outras mamães.” contou a mãe.