Várzea desenvolve ações de combate a raiva animal

Várzea Paulista, assim como todos os municípios o estado de São Paulo, não terá a campanha antirrábica em cães e gatos 2019, mas a Prefeitura, por meio da Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses e Vetores (UVZ) informa que a imunização dos animais domésticos não é a única maneira de manter a população longe desta doença fatal.

De acordo com o coordenador da Zoonoses, Éder Carmanini, a UVZ de Várzea Paulista segue as Diretrizes do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde do estado de São Paulo. “A vacinação antirrábica é apenas um dos eixos do programa de controle da raiva, sendo necessário reforçar as demais ações quando a ausência da vacinação em animais domésticos”, explica.

Conheça as ações realizadas na cidade:

  • Bloqueio vacinal realizado quando há quirópteros (morcegos) positivo para a raiva;
  • Envio de amostras de material encefálico de animais mortos por atropelamento ou de causa desconhecida na via pública, além de herbívoros grandes (bovinos, equinos) quando sintomáticos da raiva;
  • Avaliação de animais com sinais sugestivos de Raiva na via pública;
  • Avaliação dos casos de agressão provocados por cães e gatos através da ficha de notificação de atendimento antirrábico humano para pessoas agredidas que procuram os serviços de saúde;
  • Vacinação contra a raiva animal de forma anual em cães e gatos;
  • Recolhimento e envio para exame diagnóstico de raiva em quirópteros (morcegos) quando encontrados mortos e/ou voando durante o dia (comportamento anormal para a espécie). Nestes casos o morador pode solicitar avaliação diretamente na UVZ, através do telefone 4595-8776.

É importante ressaltar que Várzea Paulista teve um único caso de raiva, registrado em morcego no ano de 2009. Segundo Eder, o caso ocorreu na região central. “Na época foi realizado um bloqueio vacinal dos animais domésticos (cães e gatos)  em um raio de 1 km do local onde o morcego foi encontrado”, informa o coordenador.

A orientação para os tutores de cães e gatos, que desejem imunizar seus animais contra a raiva é que procurem consultórios veterinários particulares. “Se possível, o tutor pode procurar clínicas particulares, em especial aos que possuem animais que nunca receberam a vacina antirrábica, como os filhotes (a partir dos 3 meses) e animais jovens”, destaca Eder Carmanini.

Entenda o caso

A campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos 2019 não será realizada no estado de São Paulo. A situação foi ocasionada pelo fato do responsável pelo envio das doses de vacina – o Ministério da Saúde, não conseguir viabilizar a compra junto aos laboratórios produtores credenciados, e assim, repassar aos estados que são os responsáveis pela entrega para aos municípios, que ficam com a responsabilidade pela execução da campanha.

A falta de vacina não é nacional, entretanto, como o Ministério da Saúde não conseguiu adquirir as vacinas em quantidade suficiente para todos os estados brasileiros, houve priorização para estados com casos de raiva em animais domésticos e silvestres ou com cenário epidemiológico favorável a transmissão do vírus da raiva. Portanto serão atendidos apenas os estados do Maranhão, Ceará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Acre.