Procon usa site para solucionar conflitos

Uma plataforma online para resolução de conflitos de consumo de forma rápida e desburocratizada: este é o Consumidor.gov, na qual cerca de 80% das reclamações registradas no Consumidor.gov.br são solucionadas pelas empresas, que respondem as demandas dos consumidores em um prazo médio de 7 dias. A ferramenta está sendo divulgada pelo Procon Jundiaí, e para utilizá-la basta clicar aqui.

O número de registros na plataforma, vindos de consumidores de Jundiaí, aumentou 39% em 2019, em relação ao ano anterior: foram 3.755 registros, contra 2.700 em 2018. O Procon Jundiaí acompanha a evolução dos dados de atendimentos relacionados aos CEPs de Jundiaí, tendo no site um aliado para monitorar a situação em âmbito local.

Segundo explica o chefe do Procon Jundiaí, Adilton Garcia, trata-se de um espaço prático para resolução de conflitos, considerando que a participação de empresas é voluntária, mas lá estão as líderes de cada segmento de consumo. “Acompanhamos a evolução dos atendimentos em Jundiaí, tendo no site um aliado para monitorar a situação em âmbito local”, afirma. A iniciativa está alinhada com o programa “Procon Conectado”, idealizado para auxiliar as pessoas a utilizar a plataforma – inclusive públicos específicos, como a terceira idade. Em dezembro passado, por exemplo, o Procon recebeu seis idosos encaminhados em parceria com o Centro de Convivência do Idoso (CRIJU) para inclusão digital.

A participação de empresas no Consumidor.gov.br, só é permitida àqueles que aderem formalmente ao serviço, mediante assinatura de termo no qual se comprometem em conhecer, analisar e investir todos os esforços disponíveis para a solução dos problemas apresentados. O consumidor, por sua vez, deve se identificar adequadamente e comprometer-se a apresentar todos os dados e informações relativas à reclamação relatada.

Para o chefe do Procon, é importante a inserção dos consumidores nas plataformas de reclamações eletrônicas. “A internet faz parte dos maiores meios de comunicação do mundo, e consumidor bem-informado é consumidor consciente”, afirma.