Empresas de Jundiaí adotam uma série de ações contra o coronavírus

As empresas Astra, Japi, FA Oliva e Finamax estabeleceram um comitê de crise em conjunto, formado por representantes do conselho, diretoria, recursos humanos, comunicação e consultores. O comitê é responsável por discutir e elaborar ações para minimizar os impactos da pandemia nos negócios das empresas e, consequentemente, na rotina de seus colaboradores, parceiros, fornecedores, clientes e comunidade jundiaiense. “A maior preocupação das empresas é com a saúde das pessoas. Porém, elas não podem deixar de lado a economia. Os negócios sustentam não só as empresas – a mais antiga está no mercado há mais de 63 anos -, mas também todas as pessoas que dependem das suas operações. Portanto, os executivos estão empenhados em voltar ao trabalho o mais rápido possível, claro que tomando todas as medidas necessárias de distanciamento e higiene orientadas pelo Ministério da Saúde”, informa a assessoria de imprensa das empresas.

Foi neste comitê que surgiu a ideia de doações de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) para as áreas de saúde. Astra, Japi e FA Oliva vão doar centenas de óculos, máscaras e protetores faciais para o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus da cidade de Jundiaí, que irá redirecionar os materiais aos órgãos de saúde do município. A Astra faz um apelo: “Se todas as empresas em nosso país adotarem esta ação, conseguiremos ajudar muito. Depois que divulgamos a ação em nossas redes sociais, começamos a receber uma série de ligações de hospitais e empresas ligadas à saúde de várias cidades e estados; todos pedindo doações. A necessidade é enorme, precisamos de um grande movimento para conseguirmos ajudar”, destaca Manoel Fernandes Flores, diretor superintendente da Astra.

Confira as ações que cada empresa adotou para combater o coronavírus:

ASTRA

A Astra está atuando parcialmente desde o dia 24 de março, terça-feira. “Foram concedidas férias a mais de 70% dos colaboradores. As pessoas do grupo de risco não estão exercendo suas atividades desde o dia 19 de março. Elas foram as primeiras a deixarem a empresa”, informa João José Storarri, gerente de recursos humanos da Astra. A empresa está com um efetivo de 30 pessoas administrativas em home office; já o retorno às atividades normais está previsto para 13 de abril.

Os colaboradores que estão trabalhando presencialmente são de áreas essenciais, como enfermaria, departamento pessoal, limpeza, portaria, áreas administrativas como financeiro e TI, além de alguns setores da produção e logística. “Nós atuamos no Brasil todo e continuamos recebendo pedidos de clientes. Atender esta demanda é fundamental neste momento para que possamos suprir as necessidades do mercado e manter a empresa ativa”, destaca Joaquim Coelho, diretor comercial da Astra. É importante ressaltar que as medidas de quarentena divulgadas até o momento no Estado de São Paulo não contemplam as indústrias, que permanecem trabalhando para abastecer o mercado.

Para manter a segurança dos colaboradores que estão trabalhando, a Astra adotou uma série de medidas preventivas, como distribuição de álcool em gel em diversas áreas comuns das unidades da empresa; reforço na limpeza de banheiros, outros ambientes comuns e maçanetas; abertura de portas e janelas para melhor arejamento das áreas, evitando o uso de ar condicionado; distanciamento nas mesas dos refeitórios, para que os colaboradores possam se sentar longe uns dos outros; campanhas de comunicação espalhadas em diversos pontos da empresa, inclusive bebedouros, banheiros e restaurantes. “Também nos preocupamos em manter nossa enfermaria funcionando, com aumento do horário de atendimento dos médicos. Assim, nossos colaboradores, mesmo em férias, e seus dependentes podem usar este serviço médico antes de se direcionarem aos hospitais. Estamos recomendando a ida a hospitais somente em casos de emergência”, frisa Storarri. A Astra conta com três médicos, uma enfermeira e uma auxiliar de enfermagem em atuação neste momento.

A Astra também criou um portal de notícias, um guia da quarentena, além de outras formas de comunicação para manter seus colaboradores informados com dicas e orientações da empresa nesta fase de pandemia de coronavírus.

JAPI

A Japi concedeu férias para todos os colaboradores com férias vencidas e suspendeu suas atividades, a princípio até o dia 03 de abril, mantendo os demais colaboradores em casa, utilizando o sistema de banco de horas. Atualmente, apenas uma pequena equipe encontra-se nas instalações da empresa para atender alguns pedidos urgentes de clientes. A outra parte, de áreas administrativas, está em home office desde o dia 23 de março. Os colaboradores que estão trabalhando na fábrica seguem todas as medidas preventivas que a empresa vem adotando em suas dependências desde o dia 12 de março. “Para nós, é fundamental preservar a saúde dos nossos colaboradores e garantir que os clientes continuem sendo atendidos. Estamos à disposição para dar todo suporte necessário”, conta Diego Matos, gerente comercial da Japi.

FA OLIVA

A F A Oliva fechou temporariamente todos os seus plantões de venda e a Central de Atendimento ao Cliente. A empresa, no entanto, mantém canais de atendimento pelo WhatsApp, tanto para quem busca comprar imóvel (11-99966-9677) quanto para quem já é cliente (11-99646-1036).

A Urbitec, braço operacional da F A Oliva, iniciou um período de férias coletivas nesta quarta (25), com retorno programado para o dia 13 de abril. Com isso, as obras foram interrompidas, mas não haverá mudança nos prazos de entrega dos empreendimentos. Cerca de 20 funcionários mantêm os trabalhos essenciais em home office. Nenhum profissional realiza trabalho presencial.

FINAMAX

A Finamax Crédito, Financiamento e Investimento está com suas lojas correspondentes fechadas desde 23 de março e mantém o atendimento através de seus canais digitais e Central de Atendimento. Os processos prioritários estão mantidos com parte da equipe em home office. Todos os demais colaboradores, especialmente os de grupo de risco, foram afastados de suas funções, a partir de 19 de março.