DPascoal fecha 34 lojas. Inclusive em Jundiaí

A DPaschoal anunciou o fechamento de 34 lojas da rede, inclusive de Jundiaí. Segundo a empresa, os investimentos a partir de agora serão focados nas vendas on line. Muitos motoristas ficaram surpresos com a decisão, já que as lojas de Jundiaí existiam há mais de 20 anos.

A DPaschoal diz que vem se preparando ao longo dos anos para esse momento de fechar lojas físicas e direcionar seus investimentos para o mundo digital, para redes credenciados e franquias.

A companhia criou plataformas digitais, como o Autocred e o www.autopeças.com.br, que têm como propósito, além de distribuir peças e pneus no menor tempo, proporcionar uma experiência multicanal e confiável para consumidores e parceiros.

A empresa vem investindo fortemente em tecnologia nos últimos anos, mostrando a confiança do acionista e sua presença cada vez maior no país. Além disso, segue focada em fortalecer também o segmento de linha pesada, estando muito mais próxima de caminhoneiros e frotistas. “A ideia é oferecer o melhor serviço e soluções aos seus clientes”, afirma Bruno Gomes, Diretor de Operações da DPaschoal.

Neste processo de mudança, a DPaschoal descontinuou 34 lojas exclusivas para o varejo. De acordo com Gomes, a medida faz parte de uma decisão estratégica da companhia. Alguns colaboradores dessas unidades foram remanejados para outras lojas e continuam exercendo suas funções. Os demais, que não fazem mais parte do quadro, estão sendo tratados com ética, transparência e respeito, recebendo total apoio e benefícios da companhia para atravessar esse período e se recolocarem no mercado de trabalho.

Ainda vale ressaltar que todos os clientes das unidades descontinuadas estão sendo comunicados e direcionados às lojas mais próximas. “Eles já conhecem e confiam na nossa marca, por isso podem ficar tranquilos, pois já sabem que receberão a mesma atenção e cuidado no atendimento, garantindo uma experiência única onde estiverem”, finaliza.

Redução de funcionários

Várias empresas de Jundiaí estão reduzindo o número de funcionários. O Ministério do Trabalho informou que ainda não tem a quantidade de pessoas dispensadas. Um comerciante comentou no Facebook que demitiu 60 trabalhadores.

O presidente do Sindicato dos Plásticos, João Henrique, gravou vídeo lamentando que o 1º de Maio neste ano não é de de comemoração. Há muitas demissões em vários setores. Ele fez um apelo para os empresários segurarem os funcionários por mais algum tempo, até a crise passar.

%%footer%%