Prefeitura vai adotar monitoramento das linhas de ônibus

A Prefeitura de Jundiaí informou na tarde deste domingo (31) que vai monitorar as linhas de ônibus, conforme a demanda. Os passageiros devem seguir os horários divulgados por meio do aplicativo do município para celulares.

Para o atendimento ao decreto estadual para  retomada consciente e segura de parte das atividades, a Prefeitura de Jundiaí decretou horários de funcionamento diferenciados para as atividades de forma a facilitar o transporte da população, bem como evitar as aglomerações em horários de pico.

A Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT) vai manter o monitoramento de todas as linhas de forma a atender a demanda e solucionar as necessidades identificadas.

“Os horários de demanda pelos novos serviços não coincidirão com os horários de pico da manhã e tarde. Esse foi um cuidado previsto juntamente com as outras indicações de regramentos sanitários pertinentes à retomada gradativa”, explica o gestor da UGMT, Silvestre Ribeiro. “As reavaliações são permanentes em todas as linhas para ajustes necessários”.

Consulte os horários de cada linha. Clique aqui

Transporte coletivo conta com monitoramento de linhas e horários para o atendimento da demanda

 

Desde o início da pandemia, com a redução no movimento da população, estão sendo realizadas adequações nos horários das linhas de forma a atender o fluxo. As análises foram feitas com as indicações para o atendimento das indústrias – que não paralisaram suas atividades, pela classificação como essenciais -, e, agora, terão o mesmo tratamento para atender a essa nova parcela de trabalhadores que deverá retornar às atividades a partir de segunda-feira (1).

Os comércios de rua retornarão o funcionamento de segunda a sábado, das 9h30 às 15h30. Já os shoppings funcionarão das 14h às 20h. Escritórios, imobiliárias e concessionárias retomam em horário de funcionamento normal .Todos os setores devem atender normas rígidas sanitárias, oferta de equipamentos de proteção individual para os colaboradores e álcool em gel 70% para colaboradores e clientes. Outras medidas estabelecidas para cada setor devem ser consultadas pelo decreto 29.026 de 29 de maio de 2020.

Zona Azul suspensa

A Zona Azul, no Centro da cidade e nos bairros, continua suspensa, bem como o atendimento nos órgãos públicos da Prefeitura, do INSS, do Fórum, do Poupatempo, além do Detran e escolas.

Os escritórios e comércio em geral de rua podem abrir das 9h30 às 15h30.

O JundiaíShopping e o Maxi Shopping adiaram a reabertura, para fazer adaptações seguindo as normas da Prefeitura. O JundiaíShopping reabre só na quarta-feira, dia 3. O Maxi ainda está avaliando o dia. Os shoppings foram obrigados a adotar novo horário de funcionamento, das 14 às 20 horas, com fechamento das praças de alimentação para consumo no local. Só podem vender para viagem.

Segundo assessores da Prefeitura, a frota de ônibus em circulação continua sendo de 50%.

Como a Prefeitura determinou a abertura de atividades comerciais em horários diferentes, a expectativa é de que não sejam criadas aglomerações.

Os vereadores de Jundiaí realizaram reunião com o gestor de Transportes, Silvestre Ribeiro, questionando sobre as aglomerações nos terminais e ônibus.

O gestor disse que estão sendo feitos acompanhamentos de cada linha e terminal. No momento não há o que fazer para evitar concentração de passageiros.

Um vereador chegou até a sugerir a compra de ônibus igual de Londres, de dois andares, para evitar aglomerações. Além de não ter fábrica produzindo e não ter disponibilidade no mercado, o veículo não teria como circular nas ruas do município, com a fiação de energia e telefonia baixas demais.

Foi discutida a proposta de transportar até o limite de 12 ou 20 passageiros em cada coletivo. Mas surgiria outro grande problema com muita gente sendo deixada nos pontos.

O gestor explicou que houve aumento nos serviços de limpeza e higienização dos coletivos, a cada viagem e os passageiros estão sendo orientados a usar máscaras.

A Prefeitura já distribuiu mais de 50 mil máscaras nos terminais para a população.