Campo Limpo Paulista permite reabertura do comércio

A Prefeitura de Campo Limpo Paulista institui a abertura parcial dos comércios a partir desta terça-feira (02), de acordo com as especificações do Decreto Municipal nº 6770, de 1º de junho de 2020, condicionado a uma série de cuidados e medidas de isolamento.

Os comércios que estiverem elencados na permissão de reabertura deverão se atentar às especificações e restrições de atendimento, uma vez que a pandemia ainda está com forte impacto no país. Para o prefeito dr. Japim Andrade, a reabertura do comércio, com restrições, foi um passo para voltar a movimentar o município economicamente. “Sabemos que o vírus e seus desdobramentos têm nos afligido. Retomaremos as atividades econômicas aos poucos e com o máximo de cuidado para que prezemos primeiro pela vida e conforme nosso município for vencendo este mal, nos reergueremos mais fortes”, disse o chefe do Executivo.

Entre os estabelecimentos que poderão reabrir, além dos que já estão autorizados por serem serviços essenciais, são: imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércios lojistas, salões de beleza, barbearias e academias.

Ficará como responsabilidade do comerciante informar a sua clientela com disposição de placa em frente ao comércio, sobre as quatro horas de atendimento, que devem ser escolhidas no período entre às 7h e 19h.  Mesmo com a liberação parcial dos comércios acima, a quarentena anunciada pelo Decreto Municipal nº 6751 de 23 de março de 2020, será mantida e sua evolução estudada de acordo com o “Plano São Paulo” do Decreto Estadual nº 64.994, de 28 de maio de 2020.

A abertura parcial poderá avançar ou regredir, ao depender dos levantamentos feitos a cada sete dias, conforme estabelece o decreto municipal e estadual. Se houver abusos, progressão nos internados e casos de mortes confirmados, novas medidas podem ser adotadas. Não será permitida a reabertura de bares, pizzarias, restaurantes, teatros, espaços para eventos, atividades e eventos que gerem aglomeração em atividades não essenciais, mesmo os esportivos.

RESTRIÇÕES – O comerciante poderá ter dentro de seu estabelecimento cerca de 20% da atual capacidade de atendimento. Ou seja, se no alvará diz que o comércio pode ter na loja ao mesmo tempo 20 pessoas, com o novo decreto poderá atender somente a quatro pessoas por vez. Ou um cliente a cada 16 m², o que causar menor aglomeração de pessoas. Exceção às imobiliárias, escritórios, salão de beleza e barbearias, que poderão atender apenas uma pessoa cada vez na sala.

Além disso, os comércios deverão disponibilizar álcool em gel 70% na entrada, fornecer Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) aos seus funcionários, não autorizar entrada de clientes sem máscaras, orientar a distância de 2 metros entre os clientes, providenciar constante higienização com antissépticos e incentivo ao uso das modalidades de venda à distância, como o delivery.

Com a observância epidemiológica dos casos, a Prefeitura poderá flexibilizar ou restringir com mais rigor as medidas diante do comércio local. Os órgãos municipais de segurança, como a Guarda Civil Municipal e Agentes de Fiscalização, continuarão com as vistorias frequentes em toda a cidade.

item0