Bandidos aplicam golpe usando a Covid-19

A Polícia Civil de Jundiaí recebeu cerca de 10 queixas de moradores da cidade que tiveram o aplicativo WhatsApp “sequestrado” depois que uma pessoa ligou pedindo informações se alguém da família teve sintomas do Coronavírus. A última vítima ficou sem o aplicativo por vários dias e nesse tempo os golpistas pediam dinheiro para parentes e amigos.

O agente Xororó, do 1º Distrito Policial, pede para a população não passar códigos para ninguém. O golpe começa quando a pessoa do outro lado da linha se apresenta como funcionário da “Secretaria de Saúde da Prefeitura” e depois questiona se alguém da residência ou do bairro pegou o Coronavírus. Normalmente é uma mulher quem fala do outro lado e convence as vítimas a permanecerem na linha, até a chegada de um código – que é fornecido pelo whatsapp.

Quando o cidadão tenta usar o aplicativo ele não está mais disponível no aparelho.

Um comerciante de Jundiaí relatou nas redes sociais que teve o WhatsApp clonado e os transtornos foram imensos para os amigos dele e familiares. Algumas pessoas acabaram transferindo dinheiro.

Os riscos para os donos de aplicativo “sequestrado” podem ser maiores em breve, com a entrada no WhatsApp no sistema bancário, permitindo a transferência de dinheiro. (O Brasil é o primeiro País do mundo no teste do WhatsApp).