Comércio não essencial volta a fechar em Várzea Paulista

Após decisão conjunta da AUJ (Aglomeração Urbana de Jundiaí), Várzea Paulista volta, a partir de segunda-feira (6), à fase vermelha — a mais rigorosa, que não permite a abertura do comércio — do Plano São Paulo, do Governo Estadual, que regulamenta as atividades comerciais de acordo com indicadores do combate à Covid-19 no estado.

A mudança para a região, que é do DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas, foi anunciada pelo Estado nesta sexta-feira (3), por conta de índices como novos casos e óbitos e ocupação de leitos. Com a medida, só poderão funcionar em Várzea Paulista estabelecimentos que prestam serviços essenciais, como mercados e farmácias.

Passam a ficar proibidos em Várzea Paulista as atividades presenciais: frequentar espaços públicos como parques; serviços imobiliários; concessionárias; escritórios; bares, restaurantes e similares; comércio não essencial; shoppings centers; salões de beleza; academias; promoção de eventos que gerem aglomeração.