Mesmo com faixa vermelha comércio segue aberto nos bairros

A determinação de voltar a fechar o comércio não essencial parece não ter surtido efeito. Após receber denúncias de vários leitores a reportagem do Jornal da Região percorreu alguns bairros de Jundiaí e parte de Várzea Paulista nesta quarta-feira (8), e pode verificar lojas de vários setores abertas.

Desde estacionamento de veículos, a papelarias, lojas de roupa infantil e adulto a lojas de utilidades domésticas, artigos de festa a salões e barbearias e tantos outros setores que deveriam estar fechados.

Na Ponte São João, Jundiai-Mirim, Jardim Tarumã, Rio Acima, Caxambu, Retiro, Vila Arens e Jardim Pacaembú, onde a reportagem esteve, muitas lojas estavam com as portas abertas.

Algumas com cordões na entrada para que os clientes fossem atendidos na calçada, outras com meia porta aberta para restringir a entrada de pessoas, mas permitindo que o cliente entrasse e saísse.

“Trabalho em loja do Centro e não podemos abrir, mas no bairro onde moro está normal. Não estou recebendo salário mas vejo tudo normal por aqui. Ou abre tudo ou não abre. A determinação vale só para o Centro?”, disse uma das leitoras.

O mesmo aconteceu em Várzea. Leitores Do JR relatam ainda que a medida não foi tão eficaz como na primeira determinação. “Parece que só fecham quando alguma viatura passa. Mas está tudo aberto”, disse uma moradora do Jardim Bertioga.

Em Jundiaí, a Fiscalização do Comércio esteve no Residencial Jundiaí nesta quarta e notificou 25 estabelecimentos. Leia mais aqui: https://jr.jor.br/2020/07/08/residencial-recebe-fiscalizacao-25-sao-notificados/

Máscara
A reportagem flagrou ainda dezenas de pessoas sem máscaras. Quanto mais longe do centro, maior a quantidade de pessoas sem o uso da proteção.

“Aqui não tem tanta gente circulando. Não precisa usar”, disse uma moradora do Tarumã que não quis se identificar quando foi questionada pela reportagem. Ela estava com a cunhada e três filhos indo a uma sorveteria; todos sem máscaras.