Caso de Campo Limpo: Leitora rebate afirmações da GM

A leitora Tânia Maura enviou carta de resposta sobre o caso da agressão do GM de Campo Limpo Paulista contra um jovem que soltava pipa no local.

“Sou mãe de um dos denunciantes. Meu filho tem 15 anos. Que fique bem claro, tenho respeito pela corporação, e vários GM, que conheço a anos. Nunca tive motivo de reclamação, ou incredibilidade. Até o fato ocorrido no domingo (2). Até antes da Pandemia, os jovens costumavam encontrar-se no ginásio de esportes, meu filho mesmo, com frequência ia ao shopping em Jundiaí. Hoje com tudo ainda fechado, existe a inquietude por nós, imagine por um jovem. Este espaço é totalmente aberto, detalhe: Loteamento irregular. Pavimentaram, sem a devida regularização, erro de quem?
Segundo, partindo do princípio que, haveria uma ação, com denominação “Cerol”, entende-se notificação a promotoria da Vara da Infância e Juventude, com acompanhamento do Conselho Tutelar, fato que não se deu.
Vamos lá, após levantamento dos fatos, e cinco horas registrando um BO, na DP de Campo Limpo Paulista, foi-nos informado, que para aquela DP, não houve entrada de drogas, mas de pipas e linhas.
Opa! Lembrando que no local, algumas pessoas, vendiam tanto um, quanto outro.

Perguntas: Apreenderam, parabéns! Não compactuo com uso de Cerol, nem com nada errado.
Fizeram prisões? Não.
Agrediram? Sim.
Intimidaram? Sim.
Ameaçaram? Sim

Possuímos além das gravações já vistas, outras mídias, que claro, serão oferecidas as autoridades competentes.

Quanto aos denunciantes, não são marginais, nem drogados, todos trabalham, estudam.
Estavam ali, azarando as meninas, ou você nunca foi jovem? Conheço todos eles, podemos provar o que falamos.

Outra coisa! Não é a Guarda Municipal, mas quem comandou tal ação. Forma truculenta.
Quero ver dar um tapa na cara de quem pode se defender.
Ou colocar de joelhos, com uma arma apontada, como fizeram com meu filho.
Não vou me calar.
Não culpo a corporação, responsabilizo quem não cumpriu a lei, o direito, a defesa.
Estou a disposição.”

GM desabafa sobre repercussão do caso da pipa