Motorista de ambulância Betão morre de Covid-19

A pandemia do Coronavírus ainda não acabou e continua fazendo vítimas. Faleceu neste sábado (19), no Hospital São Vicente de Paulo, em Jundiaí, o motorista de ambulância da Prefeitura de Várzea Paulista, Alberto da Silva Camargo, de 52 anos, o “Betão”.

Ele estava internado há vários dias no Hospital para tratamento da Covid-19.

Os amigos ficaram chocados com a notícia, comentando que ele era uma pessoa “forte” e do “bem”.

A leitora Kátia Berbel disse que está “chocada” e quando falaram que ele havia sido internado acreditava que sairia rapidamente.

O corpo de Alberto será sepultado direto neste domingo (20), no Cemitério Municipal de Campo Limpo Paulista, com cerimônia reservada para a família e amigos próximos, como prevê o protocolo do Ministério da Saúde.

O cortejo com viaturas da Prefeitura deve sair do Hospital São Vicente às 9 horas da manhã até a porta do cemitério.

Algumas das pessoas atendidas por “Betão” comentaram que ele era uma pessoa maravilhosa. Nas ocorrências fazia de tudo para tranquilizar as vítimas seja de acidentes ou que estavam passando mal.

Uma mulher comentou que ele a salvou e no desespero, foi um “anjo” na vida dela, acalmando e se recuperando rapidamente.

Kátia Berbel disse que conheceu muito bem “esse anjo na Terra”.

Vidas perdidas

Desde o início da pandemia a região de Jundiaí perdeu muitos profissionais da área da Saúde, como enfermeiros, funcionários de hospitais. Betão não foi o único motorista. Houve um funcionário da Prefeitura de Itupeva e outro motorista do Serviço Funerário da Prefeitura de Jundiaí.

Jundiaí tinha até a sexta-feira (18) 400 óbitos de Covid.

Na cidade de Várzea Paulista morreram 74 pessoas até sexta-feira (sem a inclusão de Betão).

Veja vídeo da Prefeitura de Várzea Paulista em homenagem ao Dia do Socorrista, com Betão como destaque no dia a dia de salvar vidas.

Betão durante salvamento a pessoa doente em Várzea Paulista

O cortejo de despedida ao motorista Betão, na manhã deste domingo (20)