Trabalhadores da Krupp entram em Estado de Greve

Os 1.700 trabalhadores da metalúrgica thyssenkrupp, em Campo Limpo Paulista,  estão em estado de greve. A negociação por videoconferência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em Campinas não teve acordo.

O presidente do Sindicato, Eliseu Silva Costa, disse que ocorreram manifestações de duas horas em cada turno entre os dias 11 e 16 de setembro, na tentativa de negociar com a empresa. Mas não teve resultado.

O Sindicato pleiteia manutenção de cláusulas trabalhistas, que teriam sido suspensas pela empresa, que alegou fim do acordo. “A multinacional tem 72 horas para apresentar um posicionamento”, comentou o sindicalista.

Fim de acordo de 30 anos

Durante a assembleia, o Sindicato expôs as alternativas que foram apresentadas na audiência. A principal proposta dos sindicalistas é a renovação do acordo de revezamento, modelo anterior aplicado pela empresa há 30 anos. Caso a empresa rejeite a proposta, o Sindicato está sugerindo um novo regime de turnos alternados, que consiste em revezamentos semanais nos turnos da manhã e da tarde e revezamentos mensais no turno da noite.

“Aos trabalhadores que atuarem no sistema 3X3, 3X1 e 5X1, sugerido pela thyssenkerupp, o Sindicato está propondo o adicional de 20% do salário nominal, com revezamento de turno no final de cada ciclo. Vale ressaltar que neste formato os trabalhadores vão atuar nos finais de semana e feriados”, disse o sindicalista.

As propostas do Sindicato tiveram apoio unânime dos trabalhadores presentes na assembleia.

“O posicionamento dos trabalhadores foi apresentado. Agora, a thyssenkrupp vai fazer a parte dela. Pedimos que os trabalhadores permaneçam mobilizados, o Sindicato continuará à disposição de todos. Nós só vamos assinar um acordo se tivermos a aprovação dos trabalhadores”, declarou Eliseu Silva Costa, presidente do Sindicato.

Resposta da Empresa

A thyssenkrupp confirma que recebeu ontem (21/09) o ofício sobre o Estado de Greve do Sindicato da categoria.
No entanto, a empresa destaca que o acordo coletivo que previa o revezamento que foi encerrado em 31 de agosto e está seguindo rigorosamente a legislação ao propor a fixação de turnos.
O processo de fixação dos turnos na fábrica de Campo Limpo Paulista, iniciado no último dia 14, foi conduzido com total respeito e transparência junto aos seus colaboradores.
A empresa permanece no constante diálogo com o Sindicato no esforço de buscar o melhor acordo entre as partes.