Bolsonaro defende volta às aulas presenciais

O presidente Jair Bolsonaro voltou defender nesta quinta-feira, 24, o retorno das aulas presenciais em escolas. Ele também reafirmou que houve uma “politização” relacionada à pandemia do novo Coronavírus, além de uma “pressão enorme” para manter a política de isolamento.

“As aulas têm que voltar”, disse.

O chefe do Executivo sugeriu que pessoas abaixo de 40 anos não sofrem tanto com os efeitos da covid-19.

“Abaixo de 40 anos, a chance de pegar o vírus existe para todo mundo, mas uma quantidade, um porcentual enorme, não atinge em nada as pessoas, nem aquela gripezinha ela pega”, afirmou.

Bolsonaro afirmou que há resistência para o retorno às aulas em colégios militares.

“Estamos tendo problemas em colégios militares porque tem muitos professores civis, são sindicalizados, e uma pressão enorme para o continue ficando em casa. É uma politização do vírus”, destacou.

O presidente também recomendou que pessoas com comorbidades e idade avançada tomem os devidos cuidados enquanto se espera uma vacina, mas criticou a política de isolamento.

“É o que falava lá atrás, é tomar cuidado quem tem comorbidade, esperando uma vacina e um remédio comprovado cientificamente, mas não adianta, vai acabar pegando. E ficando em casa não resolve nada porque um dia vai ter que sair da toca, sair de casa”, disse.

Em tom humorado e reforçando seu posicionamento de que o contágio pelo coronavírus é inevitável, o presidente disse ao ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente, que ele também pegaria a doença eventualmente.

“Não vou rogar praga não, mas você vai pegar”, disse. O chefe da pasta do Meio Ambiente acompanhou Bolsonaro na live semanal.

Por Emilly Behnke, Nicholas Shores e Daniel Galvão / Estadão Conteúdo