Resiliência, o novo valor da APAE de Jundiaí

Qualidade, Disciplina, Transparência, Valorização do trabalho em equipe, Solidariedade e Responsabilidade eram os valores da APAE de Jundiaí até o início deste ano. Mas, a pandemia de Covid-19 tirou a sociedade da zona de conforto nos cinco continentes do planeta e fez com que todos na APAE experimentassem a Resiliência.

“Os valores são as crenças e atitudes que nos mostram a nossa identidade. Esses valores também pressupõem um conjunto de regras que todos os colaboradores devem cumprir em busca de obterem resultados positivos: nossos valores estão por trás dos nossos comportamentos”, explicou o presidente da APAE de Jundiaí, Luiz Bernardo Begiato. “Vivemos períodos de incerteza, mas foram justamente nossos valores que nos mantiveram firmes com nosso propósito e a resiliência entrou em nosso dia a dia na prática: foi enfrentando de cabeça erguida todas as dificuldades do início da pandemia que descobrimos o quanto somos resilientes”, completou.

Resiliência é a capacidade do indivíduo de lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas. Exatamente o que todos os colaboradores da APAE de Jundiaí, assim como todas as instituições da cidade tiveram que enfrentar.

“Para nós, a resiliência surgiu como uma estratégia diária, uma habilidade que desenvolvemos para enfrentar as adversidades provocadas pela pandemia. E foi assim que conseguimos superá-las, nos adaptamos e encontramos novas maneiras de fazer as mesmas coisas: mudamos os atendimentos, inserimos novas ferramentas para conversar com nossos usuários, alunos e seus familiares”, explicou Suely Angelotti, diretora executiva da APAE de Jundiaí. “Conseguimos superar as dificuldades, estamos saindo mais fortes de tudo isso e conseguimos envolver ainda mais nosso público: com familiares mais participativos”, completou.

Para Adriana Azevedo, coordenadora de Assistência Social da APAE, a resiliência foi observada no trabalho humanizado que é promovido na organização. “Vemos todos os dias profissionais comprometidos e empenhados em alcançar os objetivos traçados para o desenvolvimento dos usuários. Todo esse comprometimento, aliado à experiência dos profissionais, fez com que a organização encontrasse respostas rápidas ao enfrentamento da crise, criando estratégias para dar continuidade à oferta dos atendimentos”, comentou. “Na área da assistência social, focamos em não deixar os usuários e suas famílias desassistidos, principalmente, pelos impactos sociais e econômicos que a pandemia trouxe além de possíveis gatilhos de risco e vulnerabilidade social que o isolamento poderia proporcionar”, completou.