IPEM encontra irregularidades em lâmpadas automotivas

Fiscais do Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, realizaram a Operação Foco em lâmpadas automotivas em atendimento de denúncias levadas pelo Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças).

Ao todo, foram coletadas lâmpadas automotivas de 20 marcas comerciais no estado de São Paulo, no período de 2019 a 2020, em fabricantes, distribuidores e varejistas, nas cidades de Cotia, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e São Paulo.

“Coletamos o material independentemente se havia denúncia ou suspeita sobre a qualidade das mesmas, nas categorias H4 e H7, as mais utilizadas em automóveis, perfazendo ao todo, 37 modelos, sendo 18 modelos H4 e 19 modelos H7. Esse tipo de operação continua de maneira permanente pelos fiscais do Ipem-SP ao coletar produtos para ensaios”, explica o diretor do Centro de Fiscalização da Conformidade de Serviços do Ipem-SP, Harisson Mattos Ferraz.

As marcas coletadas foram as seguintes: Alper, Avionix, Daylux, Eagleye, Excelite, Gauss, GE, Gerlux, HBL, Hella, Magneti Mareli, Multilaser, Osram, Philips, Shocklight, Skyway, Tehc One, Teslla, Veloxparts e Wurth.

A amostra constituiu-se de 60 lâmpadas de cada modelo, sendo já 20 encaminhadas para ensaio em laboratório e outras 40 armazenadas para ensaios posteriores se necessário. Agumas lâmpadas são embaladas e comercializadas individualmente e ouras em pares.

As amostras foram encaminhadas para laboratório acreditado junto ao Inmetro, para ensaios de acordo com os requisitos da Portaria Inmetro 301/2011, que aprova os Requisitos de Avaliação da Conformidade para Componentes Automotivos, e das normas NBR IEC 60809-1997 – Lâmpadas de filamento para veículos automotivos – Requisitos dimensionais, elétricos e luminosos e IEC 60809-2017 – Lamps for road vehicles – Dimensional, electrical and luminous requirements.

Ensaio Dimensional – Foram realizadas medições do bulbo e da base das lâmpadas. A importância das medidas corretas está tanto no acoplamento correto ao veículo quanto na qualidade da iluminação. Os faróis possuem uma geometria desenvolvida a fim de espalhar ou direcionar o facho luminoso para uma melhor eficiência de iluminação e quando a lâmpada não atende aos requisitos dimensionais o facho luminoso pode ser disperso ou não direcionado para onde o motorista precisa.

Ensaio Elétrico – As lâmpadas reprovadas no ensaio elétrico apresentam um consumo maior que o especificado, exigindo mais da bateria e fiação elétrica, projetadas para o especificado. Em casos extremos podendo ocasionar danos à instalação elétrica e incêndio do veículo. As lâmpadas devido à sua utilização, foram ensaiadas tanto no facho alto como no facho baixo.

Ensaio fotométrico – O ensaio fotométrico mede o fluxo luminoso das lâmpadas automotivas. As lâmpadas com baixo fluxo luminoso, como no caso das reprovações encontradas, apresentam iluminação inadequada, resultando em diminuição do campo e distância de visão, podendo ocasionar acidentes em vias.

Em nenhuma lâmpada foi constatado fluxo luminoso acima do estabelecido ou irregular, em função de sua geometria, situações que podem ofuscar a visão dos condutores em sentido contrário e igualmente aumentar o potencial de acidentes. As lâmpadas devido à sua utilização, foram ensaiadas tanto no facho alto como no facho baixo.

Destacaram-se positivamente as marcas/modelos que não tiveram nenhuma reprovação na amostra ensaiada de 20 lâmpadas:

Excelite H4
Excelite H7
Gauss H4
Gauss h7
GE H4
Gerlux H4
HBL H4
Hella H4
Magneti Mareli H4
Magneti Mareli H7
Osram H4
Osram H7
Philips H7
Skyway H4
Teslla H4
Teslla H7
Wurth H7

Porém, chama a atenção as marcas/modelos que tiveram reprovação em todas as lâmpadas ensaiadas que compunham a amostra:

Alper H7,
Multilaser H7,
Tech One H4,
Tech One H7,
Velox Parts H4 e
Velox Parts H7.

Os fabricantes ou importadores responsáveis pelos produtos com irregulares nos ensaios foram autuados pelo Ipem-SP e serão notificados e penalizados pela irregularidade, que podem ser de advertência, em casos mais leves, ou multa de acordo com a gravidade e incidência da irregularidade.