DIG esclarece Caso do Homem sem cabeça de Itupeva

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jundiaí realizou diligências e logrou êxito em esclarecer a autoria do delito que chocou a cidade de Itupeva onde uma pessoa foi assassinada e teve sua cabeça cortada e deixada em um ponto de ônibus no bairro Santa Elisa, em frente ao Hospital.

Foram realizadas diligencias no local dos fatos para que a equipe tivesse compreensão da dinâmica do crime, bem como na tentativa de localizar eventuais testemunhas e imagens de monitoramento que pudessem auxiliar na investigação policial.

Trata-se de um caso de crime de homicídio onde o autor, utilizando-se de um facão veio a cortar a cabeça da vítima por motivos banais.

Segundo apurado pelos investigadores de Jundiaí, a vítima teria oferecido algumas ferramentas para o autor comprar e, de imediato foi realizada uma piada onde disse que o autor não teria condições financeiras para tal compra.

A partir daí foi motivo de chacota para outros presentes que faziam uso de bebidas alcoólicas na casa do assassino.

Passado algum tempo o criminoso investiu contra a vítima e, de posse de um facão passou a degolar a vítima com a ajuda de outro comparsa que segurou seus pés.

​​​Mais tarde uma pessoa que chegou na residência, foi surpreendida com a cena de horror e após ser ameaçada pelo autor, temendo por sua vida, foi obrigada a limpar o ambiente e após isso a auxiliar na desova do corpo, utilizando seu próprio veículo.

Os criminosos retornaram para a residência pela madrugada, e devido ao uso excessivo de bebidas adormeceram.

Já na parte da manhã, se deram conta de que a cabeça ainda estava na residência e desesperados deixaram o membro em um ponto de ônibus defronte à residência local da execução e fugiram temendo a prisão em flagrante.

Os Policiais Civis da DIG passaram dias realizando uma investigação profunda na tentativa de buscar elementos de prova para o esclarecimento da autoria.

​​​A Guarda Municipal de Itupeva, através do setor de monitoramento OCR, e equipes de rua auxiliaram os Policiais da DIG para melhor compreensão do crime e em algumas diligencias realizadas.

Equipes da Delegacia de Polícia de Itupeva também auxiliaram nas elaborações dos registros de ocorrência e no levantamento de informações nos locais de crime onde foram localizadas a cabeça humana e o restante do corpo.

Com os levantamentos realizados pelos Policiais da DIG a Autoridade Policial representou pela concessão de busca e apreensão domiciliar pelo Juízo de Itupeva, bem como representou pela prisão temporária dos autores.

Coisa de Cinema

A busca domiciliar foi executada com apoio da Guarda de Itupeva e com a participação fundamental de Peritos Criminais e Polícias Técnicos Científicos – que se utilizaram de técnicas avançadas de investigação pericial com instrumentos e reagentes químicos dignos dos melhores filmes de ação CSI.

O objetivo era determinar que a residência do autor realmente foi o local da execução, uma vez que foram encontradas grande quantidade de sangue “ocultos” nos cômodos, dignos de cenas dos piores filmes de terror.

Provas robustas foram recolhidas no local, inclusive com coleta de material biológico, e DNA que vão, através de laudo próprio subsidiarem na pronúncia dos réus.

​​​Os Policiais Civis da DIG ainda conseguiram apreender o veículo utilizado para transbordo de parte do corpo até um matagal e mais uma vez com o apoio incondicional do Equipe de Perícias Criminais – Núcleo Jundiaí, através de seus Agentes e Peritos Criminais, foram realizadas diversas pericias que conseguiram identificar a presença de sangue humano no porta malas do veículo. Tudo foi fotografado e coletadas amostras de DNA pelos Peritos Criminais.

Buscas pelo autor

​​​A.S, de 39 anos, foi devidamente identificado e teve a prisão temporária decretada. Agora diligencias constantes estão sendo realizadas pela Delegacia de Investigações Gerais de Jundiaí na tentativa de colocar o assassino atrás das grades.