Alessandro Penezzi e Fábio Peron lançam CD autoral em show no Complexo Fepasa

Amigos há muitos anos, o violonista Alessandro Penezzi e o bandolinista Fábio Peron costumavam ir à casa um do outro semanalmente para encontros regados a muita música, daqueles de “sangrar os dedos”, como brincam. Na pandemia, resolveram enfim criar “vergonha na cara” e entraram em estúdio para gravar um sonho antigo: uma fina seleção de choros e valsas autorais presentes no disco Alessandro Penezzi Fábio Peron, projeto contemplado pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (ProAc 12/2020) que conta com apoio do Acervo do Violão Brasileiro.

O trabalho foi registrado em um CD físico e também será disponibilizado nas plataformas digitais ainda neste mês. Seu lançamento prevê shows e oficinas abertas ao público com o tema “O Choro e seus diversos ritmos”, ambos com entrada franca. A programação começa em Campinas no dia 20/01, segue para Jundiaí, dia 21/01 e Osasco, dia 22/01.

“Demorou, mas quando chegamos, gravamos tudo em um dia só, em julho deste ano”, conta Penezzi. O tempo para maturar o repertório foi valioso, e juntos escolheram dez músicas de um e de outro, costurados por um fio condutor que obedece a uma ordem subjetiva, “porque na música instrumental não temos uma letra com um idioma para dizer sobre o que é aquilo, mas a gente concorda que tem uma história sendo contada com a sequência dessas músicas e sua variedade de ritmos e andamentos.

São choros lentos, sambados, de andamento médio, valsas rápidas e lentas. “O nosso jeito de fazer as coisas”, resumem. Por este jeito, entende-se também a maneira de retribuir à vida em homenagens a amigos e pessoas que admiram e que ganharam reverência nos nomes das músicas. Caso de “Chorinho pra Dominguinhos”, dedicado ao lendário sanfoneiro e compositor, “Choro do Pirajá” (para um amigo luthier) e “Mestre Miltinho” (um bandolinista e cavaquinista parceiro de ambos).


O duo aproveita a deixa e também aplaude a amizade de um e de outro. Penezzi compôs “Peron”; “´Trata-se de uma música de melodia simples para ele, que é cheio de harmonias rebuscadas e improvisos, fiz para que tenha a liberdade de dizer na hora o que ele quiser”, explica o músico. O companheiro devolve a homenagem em “Valsa crioula”: “É um gênero da valsa que o Penezzi domina muito bem e que flerta com o dois, compasso ternário com compasso binário”, explica Peron.

Destaque também para “Valsa de pedra”, composta em frente às pedras da cidade de Domingos Martins, no Espírito Santo, e “Partido atrevido”, que tem uma levada de partido alto derivada e inspirada na de Raphael Rabello [1962 – 1995], grande referência para os músicos. “A gente se inspira em quem a gente toca”, finalizam.

O disco físico à venda em: https://www.violaobrasileiro.com.br/loja/produto/alessandro-penezzi-e-fabio-peron-cd-fisico-lancamento-exclusivo/

Alessandro Penezzi – Violão 7 Cordas
Nascido em Piracicaba, Penezzi cresceu no ambiente das rodas de choro. É compositor, arranjador, professor e exímio violonista de 6 e 7 cordas, dominando também outros instrumentos como bandolim, cavaco, violão tenor e flauta transversal. Formado em violão erudito, é bacharel em Música Popular. Integrou o Conjunto Som Brasileiro, Regional de Carlos Poyares, Trio Quintessência e Grupo Choro Rasgado. Já formou duos com o maestro Laércio de Freitas e os clarinetistas Alexandre Ribeiro e Nailor Proveta. Tocou com Dominguinhos, Hermeto Pascoal, Beth Carvalho, Sílvio Caldas, Alaíde Costa, D. Ivone Lara e as orquestras Jazz Sinfônica de São Paulo e Sinfônica de Londres. Abriu o show de Wayne Shorter, no 30o Skopje Jazz Festival (Macedônia). Sua música já foi gravada por artistas como Dexter Payne, Brian Silber, Regional de NY, e Jane Lenoir, flautista americana que gravou o álbum “Jane Lenoir plays Penezzi” somente com músicas do compositor. Recebeu homenagens e indicações por sua atuação como instrumentista e compositor. Compôs a trilha sonora de SOS Fada Manu, animação brasileira (canal Gloob), além de ter obras publicadas internacionalmente. Apresentou-se nos Estados Unidos, Rússia, Itália, Alemanha, Dinamarca, Holanda, Argentina, Uruguai, Colômbia, Portugal, entre outros países. Teve destaque nos prêmios Visa MPB Instrumental, Tim de Música Brasileira e Shell de Teatro. Em 2018, venceu o 29o Prêmio da Música Brasileira na categoria melhor álbum instrumental com o disco “Quebranto”, em parceria com Yamandu Costa. Atualmente também ministra o curso Escola de Choro Online, uma escola para violonistas que querem mergulhar na tradição do choro.

Fábio Peron – Bandolim 10 Cordas
Um dos grandes expoentes da nova geração de músicos, começou a tocar aos 5 anos de idade. Formado pela Faculdade Santa Marcelina e pós-graduado pela Faccamp, dedica-se à composição, pesquisa e arranjo de vários períodos e estilos da música do mundo. Tem como instrumento principal o bandolim de 10 cordas, mas também tem fluência em outros instrumentos como o violão de 6 e 7 cordas e cavaquinho. Em seu currículo, shows e gravações com nomes como Paulo Vanzolini, André Mehmari, Amilton Godoy, Arismar do Espírito Santo, Thiago Espírito Santo, Lea Freire, Silvia Goes, Naylor “Proveta” Azevedo, Mestrinho, entre muitos outros. Lançou seu primeiro CD em 2011, Fábio Peron em Boa Companhia. Em 2013 gravou Roupa Na Corda, com Arismar do Espírito Santo e Léa Freire. No ano seguinte veio Alma de Músico, com Thiago Espírito Santo e Mestrinho do Acordeon. Em 2015, lançou seu segundo trabalho solo “Fábio Peron e a Confraria do Som”, que conta com as participações de Arismar do Espirito Santo, Thiago Espirito Santo, Izaías Bueno de Almeida, Alexandre Ribeiro, Ricardo Herz, Chico Pinheiro e Zé Barbeiro, entre outros. Em 2016 veio o terceiro, Afinidades, em trio ao lado de Zé Barbeiro e Danilo Silva. Em 2016 lançou com Gian Correa, Fernando Amaro e André Mehmari, o projeto Esmê, que tem músicas do chorão Esmeraldinho Sales e variações sobre sua obra.

Serviço:
Lançamento do CD Alessandro Penezzi e Fábio Peron
Shows e oficinas abertas ao público – Entrada franca

Campinas
Quinta-feira (20/01/2022)
Oficina: O Choro e seus diversos ritmos – 14h00
Show Alessandro Penezzi e Fábio Peron – 19h30
Entrada franca nos dois eventos
Local: Instituto Anelo (Rua Vicente de Marchi, 718, Jardim Florence, Campinas.

Jundiaí
Sexta-feira (21/01/2022)
Oficina: O Choro e seus diversos ritmos – 14h00
Show Alessandro Penezzi e Fábio Peron – 19h30
Entrada franca nos dois eventos
Local: Complexo Fepasa Sala B1 (Oficina) e Sala Jundiaí (Show)
Endereço: Avenida União dos Ferroviários, 1760, Centro

Osasco
Sábado (22/01/2022)
Oficina: O Choro e seus diversos ritmos – 14h00
Show Alessandro Penezzi e Fábio Peron – 19h30
Entrada franca nos dois eventos
Local: Escola de Artes Cézar Antonio Salvi (Rua Tenente de Avelar Pires de Azevedo, 360, Centro)

%d blogueiros gostam disto: