15º Encontro de Companhia de Santos Reis reúne muita tradição e devoção

O 15° Encontro de Companhias de Santos Reis de Várzea Paulista, aconteceu no sábado (11) e domingo (12), na Praça CEU. No primeiro dia de evento, duplas sertanejas animaram o público, trazendo canções tradicionais ao palco. No segundo dia, a festividade contou com uma missa campal, apresentações das companhias de Santos Reis e muitas músicas, que transbordaram devoção e tradição, com o intuito de repassar a importante tradição popular para os presentes.

A organização do evento este ano foi realizada pela Companhia de Santos Reis Luz Divina, de Várzea Paulista, em parceria com a Unidade Gestora de Cultura. Ao longo do domingo, 11 companhias realizaram seus desfiles, ao som de músicas religiosas compostas por muitas vozes, violas e outros instrumentos, tudo animado pelas danças dos palhaços, que vieram prestigiar e cantar o reisado.

“A alegria e vontade de ressaltar as tradições familiares fizeram a diferença no resultado do evento, que celebra a tradição da adoração dos reis magos ao Menino Jesus”, ressalta Alcides Graciano, um dos fundadores da Companhia Luz Divina.

Incentivo
O prefeito professor Rodolfo Braga, ressaltou a importância da festividade para a população varzina. “Não podemos deixar essas tradições só nos livros, é preciso trazer a ação aos jovens. Declaro que se depender de nossa cidade manteremos essa tradição sempre viva”, completou o prefeito.

O professor Rodolfo, aproveitou a palavra para cumprimentar os vereadores que o acompanhavam, o chefe de Gabinete João Paulo, e estendeu seus comprimentos aos gestores. E declarou estar horado, em receber as cidades visitantes em Várzea Paulista. “Agradeço as cidades presentes e ressalto que é uma honra receber a todos. Ainda mais por Várzea Paulista, ser a única cidade da região metropolitana que realiza essa festa. Por fim, declaro aberta as festividades”, finalizou ele.

De acordo com a Gestora Executiva de Cultura, Renata Câmara, que participou da coordenação do evento, a tradição de Santos Reis na cidade tem mais de 40 anos. “É um privilégio, fazer parte dessa tradicional festa em Várzea Paulista, não é só uma retomada cultural, é uma retomada de vida”, relatou ela. “A festa teve seu espaço gastronômico coordenado pelas Instituições Sociais, da cidade, onde todo o dinheiro arrecado foi ofertado para as mesmas. Também recebemos 11 companhias de Reis, que vieram prestigiar e cantar o reisado, nós ficamos extremamente gratos a todos os envolvidos”, completou a gestora.

O vereador, Giba Moraes, que esteve presente no evento, relatou que como parlamentar, participar de um evento desses, que fomenta a cultura tradicional é de extrema importância. “Eventos que ressaltam o ambiente familiar, como esse são muito importantes, por isso é devemos incentivar essa tradição, que defende a cultura de raiz”, frisou o vereador.

Tradição familiar
Segundo Alcides Graciano, um dos fundadores da Companhia Luz Divina, o evento é uma tradição popular. “Sou neto de folião, filho de folião e por isso estou há 38 anos com a Luz Divina. Para não deixar essa tradição morrer, eu gostaria que os jovens soubessem sobre a cultura e música tradicional dos Santos Reis”, ressaltou Graciano.

O responsável pela companhia Mensageiros do Cordeiro, Marcílio Gonçalves, conhecido como Caseca, relatou que participar do evento é uma honra. “É muito bom fazer parte dessa festa, nesta cidade onde somos sempre bem acolhidos, para mim e para minha companhia é muito importante trazer a tradição dos nossos antepassados. O meu pai fazia isso, então para mim é uma tradição familiar”.

Carlos Eduardo da Silva, 47 anos, responsável pelo grupo tradicional Família Du Catira, de Itapevi, conta que o grupo é composto por sua esposa, dois filhos, a neta e quatro primos. A família, já foi homenageado em São Paulo, pela Câmara Municipal por manter a tradição caipira e tem por objetivo resgatar essa rica cultura. “Já demos palestras sobre a cultura caipira pelo país, temos o intuito de valorizar a cultura dentro do Brasil, tudo isso é nosso, é rico, sem preconceito e sem discriminação, é importante que o jovem saiba disso”, finalizou Carlos.

Novos foliões
A munícipe Janaina Andrade, que participou da festa junto com sua irmã Michele de Andrade, e com outros membros de suas famílias relataram que não costumavam acompanhar muito as festas de Santos Reis, mas que após a pandemia ficaram curiosas e decidiram participar. “A gente não costumava acompanhar, mas tem um conhecido nosso que faz parte de uma das companhias, aí viemos prestigiar ele e ver como funciona a festa. E não nos arrependemos, porque é um evento familiar que traz tradição para as nossas crianças”, completaram as irmãs.

Homenagem
Durante o evento, toda companhia participante recebeu uma lembrança homenageando o 15° Encontro, que foi um troféu e certificado de participação e um exemplar do livro “A Voz, a reza e o canto: Uma pesquisa sobre a Folia de Reis de Várzea Paulista”, da pesquisadora Amanda Melissa. O livro foi realizado com a Lei Cultural Aldir Blanc.

Agradecimentos
A Unidade Gestora de Cultura no decorrer do evento contou com diversos colaboradores para que fosse possível ofertar refeições para todas as companhias e isso só foi possível graças as doações de Rildo Embalagens, Robson do Ki Prato, Wilson do Sindicato Alimentício, Vinícius Material de Construção, Frango D´oro, Totum Psicologia, Bananas Wilson e ao vereador Emerson Afonso. Por esse apoio, a Unidade agradece imensamente a colaboração de todos.

%d blogueiros gostam disto: