Sábado de ‘Supervacinação’ em Jundiaí

Neste sábado (25), várias Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Jundiaí estarão abertas para a aplicação de vacinas para a maior rapidez no atendimento à população, já que os equipamentos estarão dedicados ao atendimento vacinal. A “Supervacinação” tem como foco a aplicação de doses de COVID-19, Sarampo e Influenza, com a ampliação dos grupos que podem receber as aplicações.

A partir de sábado, pessoas a partir de 40 anos poderão receber nova dose adicional COVID-19, além da liberação da aplicação da dose de vacina contra influenza para toda a população, a partir de seis meses de idade.

Estarão abertas as unidades Clínica Família II Almerinda Chaves, Fazenda Grande, Rami, Jardim do Lago, Hortolândia, Maringá, Colônia e Anhangabaú, das 8h30 às 11h30 e das 13h às 15h30. Já a UBS Santa Gertrudes e UBS Ivoturucaia, que abrirão das 8h às 12h.

Até o balanço encerrado no sábado (18), 116.989 pessoas estão com aplicação da vacina contra COVID-19 atrasada. Dessas, 17.070 estão com D2 em atraso e 99.919 com a D3. A idade com mais faltosos é de 30 a 39 anos para D3 e de 5 a 11 anos para D2. Já a vacina contra Influenza (gripe) foi aplicada, de acordo com o último balanço da Vigilância Epidemiológica (VE), em 81.717 pessoas. Dessas, 47.748 são pessoas com mais de 60 anos (o que equivale a 64,27% da população estimada nesta faixa etária), 10.281 trabalhadores da saúde (89,95%), 9.131 crianças (38,32%), 1.090 gestantes (25,08%), 189 puérperas (26,47%), 2.160 professores (40,68%), 51 pessoas com deficiência permanentes (0,51%), 399 profissionais das forças armadas (69,63%), 1.244 pessoas privadas de liberdade (86,51%) e 8.588 pessoas com comorbidades (33,45%).

De acordo com a enfermeira coordenadora da Vigilância Epidemiológica (VE), Maria do Carmo Possidente, a vacinação é forma eficiente de combater as formas graves das doenças. “Completar o esquema vacinal, com todas as doses específicas para cada grupo é essencial para prevenção das formas graves da COVID-19 ou das variações da Influenza. “Nas pessoas idosos, a imunidade da vacina vai perdendo sua capacidade de proteção ao longo do tempo, por isso é importante que recebam as doses adicionais conforme as definições do Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde”, comenta.

%d blogueiros gostam disto: