Mãe fala que “mundo desabou” após abuso da filha de 12 anos

A menina de 12 anos que tem autismo e foi violentada pelo vizinho de 24 anos não é mais a mesma. Segundo a mãe, a criança passou a viver sob efeito de remédios e está traumatizada. Diz que o seu mundo desabou.

A mãe explicou ao “Jornal da Região” que o vizinho alugou a casa da frente, pertencente à avó da criança.

A mãe da garota saiu de casa por alguns minutos para ir até a farmácia comprar medicamento para a gripe.

Nesse meio tempo a outra filha ligou questionando sobre o desaparecimento da mais nova de 12.

A mãe disse que em 5 minutos estaria em casa. Foi quando o vizinho ouviu a conversa da irmã pelo celular e mandou a vítima deixar a casa dele.

Agarrada

Quando a mãe retornou da farmácia, a filha foi questionada sobre o desaparecimento.

A menina conseguiu contar, em meio a choros, que o vizinho a agarrou e puxou para o interior da casa alugada pela avó – que é no mesmo terreno.

O vizinho se trancou até que a mãe chamou a Polícia Militar.

A criança foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) de Jundiaí.

O delegado do Plantão Policial, Alexander de Paula Silva, determinou a apreensão da calcinha da criança e das roupas que ela usava, para exames pelo Instituto de Criminalística.

A criança foi encaminhada pelas investigadoras da Delegacia Seccional de Polícia Civil para tratamento médico no Hospital Universitário (HU).

Houve comunicação do fato para a Justiça, Defensoria Pública e Ministério Público.,

“Mundo desabou”

A mãe da criança contou ao “Jornal da Região” que o seu mundo desabou após esses acontecimentos.

Algumas pessoas começaram a criticá-la nas redes sociais por ter “saído” de casa e “deixado a filha com o vizinho”.

Ela disse que não é nada disso.

O homem alugou a casa da frente do imóvel conjugado, sendo que reside nos fundos.

Que o vizinho veio do Nordeste há um mês com a mulher, duas filhas e um filho, Eles já saíram da casa após os fatos.

O delegado mandou prender o rapaz, que continua na Cadeia, por ordem do juiz da Vara das Audiências de Custódias.

A mãe disse que perdeu o emprego porque está correndo atrás dos cuidados com a filha.

Ela perdeu um rendimento que tinha para cuidar de três filhos.

A filha está passando por psicóloga e por médicos do Hospital Universitário, sendo que tem de tomar remédios por cerca de 20 dias, além de injeções, para evitar doenças sexuais e até uma possível gravidez.

“Algumas pessoas estão me culpado. Eu faço tudo pelos meus filhos. Esse homem que veio morar no mesmo terreno que a gente. Não foi minha filha que foi na casa dele. Ele pediu uma dipirona para a minha filha e a agarrou, puxando para dentro da casa dele e estuprou minha filha. Estou desesperada com essa situação”, desabafou.

%d blogueiros gostam disto: