Família acusa o Hospital Universitário de negligência, após morte de bebê

A família de uma grávida prestou queixa na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Jundiaí acusando o Hospital Universitário (H.U.) de negligência, após morte de bebê.

Segundo relato do marido da vítima, para a delegada Aline Nery Bonchristiani, da DDM, a esposa deu entrada no sábado, dia 23, reclamando dos batimentos cardíacos do bebê que estavam muito lentos e ele não se mexia de acordo, com 39 semanas de gestação no interior da barriga.

No Hospital Universitário a grávida foi atendida na triagem. Depois encaminhada para a obstetra e audição dos batimentos.

A equipe do HU levou a mulher para uma sala sendo informado de que no domingo iria passar por ultrassom, uma vez que o hospital não tinha profissional disponível no momento.

A internação só ocorreu a 1 hora da madrugada do domingo.

O marido disse ainda na Delegacia que em nenhum momento houve boa vontade dos funcionários em sugerir outra opção, senão esperar o dia seguinte, o que poderia ter até salvado a vida da criança.

Ainda internada no Hospital, a mulher foi informada que o bebê não tinha mais batimentos e entraria em processo de indução para o parto do bebê, uma vez que, se for realizado parto cesária, a mãe corre riscos.

A família disse ao “Jornal da Região” que a mãe está traumatizada e foi obrigada a ficar lá no hospital com bebê morto na barriga.

O Hospital Universitário informou ao “Jornal da Região” que seguiu todos os procedimentos.

A delegada Aline informou que o caso será investigado pelo 7º Distrito Policial. sob o comando do delegado Marco Antônio Ferreira Lopes, ainda nesta semana.

%d blogueiros gostam disto: