São Vicente reduz em 69% o índice de acidentes de trabalho

Anualmente o dia 27 de julho é dedicado como o marco nacional das medidas de prevenção a acidentes do trabalho. A data teve origem por meio da portaria n° 3.237 de 27 de julho de 1972, criada com o objetivo de prevenir acidentes de trabalho, promover a saúde e proteger a integridade do trabalhador no local de trabalho. Segundo o engenheiro do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV), Iberê Ferraz Santos, responsável pelo departamento de Engenharia e Segurança do Trabalho, em 2001, quando o setor iniciou os registros dos acidentes na instituição, a taxa de acidentes era de 9,88%. Atualmente, esta taxa é de 3,13%, sendo a menor taxa de acidentes de trabalho no hospital nos últimos 21 anos.

O engenheiro explica que ao longo dos anos vem desenvolvendo trabalhos com sua equipe que têm se mostrado eficaz na redução dos números de prevenção desses incidentes, a fim de reduzir e eliminar esses tipos de eventos no ambiente de trabalho. “Se compararmos com o ano de 2021, obtivemos uma redução considerável no número de acidentes no hospital, onde no ano passado registramos 101 casos e nos primeiros 6 meses deste ano de 2022, houve um registro de 34 acidentes, para o mesmo número médio de colaboradores. Portanto, proporcionalmente, obtivemos uma redução de 33% no número de acidentes”.

Iberê explica que tais melhorias na instituição envolvem um conjunto de ações do setor, dentre elas, treinamentos oferecidos aos colaboradores, bem como a implementação de diversos programas de segurança, entre eles: Programa de Gerenciamento de Riscos; Programa de Segurança em Instalações Elétricas; Programa de Proteção Radiológica; Programa de Segurança em Obras; Programa de Proteção de Máquinas e Equipamentos; Programa de Controle de Pragas; Plano de Emergência contra Incêndio; Programa de Controle de Equipamentos de Proteção Individual; Programa de Segurança com Inflamáveis e Combustíveis; Programa de Capacitação e Treinamento do Trabalhador; Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde; Programa de Ergonomia e Programa NR 32.

Além das práticas citadas acima, a pandemia da covid-19 exigiu a criação de novos protocolos para a garantia da segurança, cumprindo resoluções e portarias do Ministério da Saúde, entre outros órgãos de atuação sanitária. A mencionar: ações preventivas e educativas elaboradas, informativos periódicos, novos equipamentos de proteção individual com certificação, sinalização para orientação de distanciamento, entre outras medidas adotadas desde 2020. “Por meio desses programas, buscamos garantir não somente a segurança contra riscos de acidentes, mas também a proteção do coronavírus durante a rotina hospitalar desde o início”, enfatiza Iberê.

O engenheiro compartilha que garantir a integridade física dos funcionários é um dos principais objetivos do setor, além de reduzir e/ou eliminar os riscos na execução das tarefas laborais. O mesmo destaca nesta data importante as principais ações promovidas pela equipe na instituição. “É de nossa obrigação registrar mensalmente os dados atualizados de acidentes do trabalho, doenças ocupacionais e agentes de insalubridade. Aplicar os conhecimentos de engenharia de segurança ao ambiente de trabalho e a todos os seus componentes, inclusive máquinas e equipamentos, de modo a reduzir e até eliminar os riscos ali existentes à saúde do trabalhador; Promover atividades de conscientização, educação e orientação dos trabalhadores para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais; e a principal: Responsabilizar-se pela orientação quanto ao cumprimento das normas regulamentadoras aplicáveis às atividades executadas pela empresa”.

O profissional ainda destaca algumas das principais orientações para que incidentes em âmbito de trabalho possam ser evitados pelo colaborador. “Em primeiro lugar, o indivíduo ao entrar na empresa, e também em casos de mudanças de função ou local de trabalho, deve ser instruído sobre os riscos ocupacionais de seu posto para, posteriormente, assumir suas funções com segurança. No dia a dia, ter foco e atenção no trabalho; evitar exposição imprudente a riscos; manter o local de trabalho limpo e organizado; utilizar os equipamentos de proteção individual quando recomendados; comunicar incidentes que podem virar facilmente acidentes; utilizar apenas máquinas de trabalho que passam por revisão de segurança; não utilizar ferramentas em más condições de uso; não executar atividades para as quais não são treinados, especialmente, as que envolvem riscos etc”, finaliza.

%d blogueiros gostam disto: