PF faz a maior operação de sua história nesta quinta-feira (01)

Agentes da Polícia Federal em Campinas foram mobilizados na madrugada desta quinta-feira (01) para a sua maior operação da história, mobilizando equipes em sete estados. O objetivo é acabar com a extração irregular de ouro na Amazônia, com sequestro de mais de R$ 1 bilhão. O rastreamento de compra irregular de mercúrio é o ponto principal da Operação Hermes, cuja nomenclatura decorre da formação do acrônimo HERMES: Esforço de Repressão ao Mercúrio para Equilíbrio Socioambiental.

O mercúrio contamina o solo e é proibido no uso diário, exceto por autorizações. O grupo importava de forma irregular o mercúrio para utilização na busca de ouro.

A própria Polícia Federal já apreendeu no Aeroporto de Jundiaí uma carga de ouro extraída ilegalmente e a partir daí começou a investigar uma grande rede que operava no País.

Durante o dia a Polícia Federal de Campinas divulgará um balanço da Operação.

A operação engloba, ainda, de forma concomitante, a fiscalização de áreas de mineração pelo IBAMA, com a possibilidade de aplicação de multas, suspensão de atividades e embargos, assim como a apuração de condutas de pessoas físicas e jurídicas envolvidas com a importação e comércio de mercúrio, recicladoras de resíduos e mineradoras de ouro com sedes em municípios nos estados de Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso e Pará.

Na data de hoje, entre as medidas judiciais em cumprimento pela Polícia Federal, determinadas pela Primeira Vara Federal em Campinas, estão:

  1. 5 (cinco) mandados de prisão preventiva;
  2. 9 (nove) mandados de prisão temporária (até 5 dias);
  3. 49 (quarenta e nove) mandados de busca em municípios nos estados do Mato Grosso, São Paulo, Goiás, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rondônia, incluindo residências, sedes de empresas, depósitos e áreas de mineração (vide Anexo I).

Além dos mandados, também foram determinados o sequestro e indisponibilidade de bens dos investigados em montante superior a R$ 1.116.000.000,00 (um bilhão cento e dezesseis milhões de reais), correspondente ao valor calculado de prejuízo ao Erário.

%d blogueiros gostam disto: